SOU EVANGÉLICO, SOU FELIZ, UMA ANÁLISE DAS PRINCIPAIS QUESTÕES DA VIDA EVANGÉLICA

Por apenas: R$ 19,99 com FRETE GRÁTIS PARA TODO O BRASIL

UM LIVRO PARA ABENÇOAR A SUA VIDA.

Veja alguns capítulos que você vai encontrar neste livro.
– Ser evangélico
- Posso ser evangélico sem frequentar a igreja?
– Qual é a roupa de um evangélico?
– Como se comportar no culto evangélico
– O perigo dos cargos
– Como entender os desentendimentos dentro da igreja?
– Seu relacionamento com os demais membros
– Quanto, em dinheiro, entregarei na igreja?
– Quando o sofrimento bate à porta de um evangélico
– Entendendo por que nem todos são curados
– Evangélicos divorciados
– Ouvindo músicas não evangélicas
– Bebida alcoólica no copo de um crente?
– Nem todos falam línguas estranhas?!
– Evangélicos certos de vidas erradas
– Igreja pequena ou igreja grande?
– Excluindo membros - um mal necessário?
– Amigos e relacionamentos apenas com evangélicos?
– O que nos une é maior do que o que nos separa
– O evangélico e a morte – O que importa é ser salvo, ser você e ser feliz dentre outros capítulos.
Comprando este livro você estará abençoando e sendo abençoado. Há algo especial de Deus nele para você.
Um livro que fala de fé e de esperança.

Peça já o seu exemplar!

À VENDA NOS SEGUINTES LOCAIS:


* LIVRARIA DA IGREJA DE NOVA VIDA DE DUQUE DE CAXIAS.
Av. Presidente Tancredo Neves, 687 – Vila Itamaraty(Itatiaia) – D. de Caxias Tel./fax: (21) 3658-3200 E-mail: igreja@novavidacaxias.com.br


* Livrarias Celebrai do Shopping Center de Caxias. Rua Mariano Sendra dos Santos, SN - Duque de Caxias - RJ Quadra 4 - Loja 10 | Cel.: (21) 9346-7347 - Tel.:(21) 2671-6073

* LIVRARIA ITATIAIA NO UNIGRANRIO SHOPPING CAXIAS.
Rua Prof. José de Souza Herdy 1216. 25 de Agosto - Duque de Caxias. Tel. (21) 2671-2808


* EDITORA CONSELHO. Av. Eunice Gondin, 160, sala 206, Recreio dos Bandeirantes, RJ Tel. 3326-3844


COMPRE AGORA E RECEBA O LIVRO EM SUA CASA COM A SEGURANÇA DO pagseguro

Por apenas: R$ 19,99

Frete GRÁTIS para todo o Brasil

Através do pagSeguro você compra parcelado através dos principais cartões de crédito.
Compre também por telefone:(21) 99697-4191 e peça seu exemplar. Você vai recebê-lo na comodidade da sua casa, com total segurança e a credibilidade dos correios. Você pode comprar também por depósito bancário: Deposite o valor de R$ 19,99 na seguinte conta: Banco Santander: Agência: 4618 Conta Corrente: 01001027-8 Envie-nos e-mail constando a a data e a hora o depósito, seguido de seu endereço completo, com CEP e telefone para contato.

Você receberá em sua casa o livro SOU EVANGÉLICO, SOU FELIZ. Uma análise das principais questões da vida evangélica.

Você vai entender muito do que acorre dentro de uma igreja evangélica no Brasil. Vai ter a fé despertada, o amor a Cristo, à igreja e a você mesmo racionalizados e fortalecidos de forma simples mas, direta.

Não perca mais tempo! Investir em conhecimento é investir em você. Peça agora e seja muito abençoado pelo que vai ler e aprender.
UM LIVRO QUE TRATA DE FORMA PRÁTICA QUESTÕES VIVIDAS DENTRO DA IGREJA EVANGÉLICA.

sábado, 25 de julho de 2009

A Fazenda


Até hoje não assisti nenhuma edição do BigBrother Brasil, programa vinculado à Rede Globo de televisão, onde os participantes são confinados em uma casa por meses, onde a cada semana um deles é eliminado, sendo o participante que ficar na casa, por último, o ganhador do prêmio.
Recentemente, acompanhando algumas exibições de capítulos de “A Fazenda” da Rede Record de Televisão, programa com uma proposta melhor do que o BigBrother, por ser em uma fazenda e ter todo um contexto rural, pude perceber que o programa é uma excelente fonte de observação do comportamento das pessoas, principalmente para os psicólogos.
Assistindo a um desses capítulos, um diálogo de duas das participantes, Danni Carlos e Danielle Souza, tive uma opinião conjunta, sobre o que elas refletiam.
Confinadas na sede da Fazendo há 2 meses, sem acesso a TV, rádio, internet, celular, ou qualquer meio de comunicação com o mundo externo, elas comentavam o sobre o assunto do confinamento e da ausência de informação. Disse Dani Carlo: - “Você tem notado que já estamos aqui há quase dois meses e não sentimos nenhuma falta do telefone celular?” A outra participante, Daniele, respondeu: “ – É verdade, nem mesmo da televisão sentimos falta. Isso significa que podemos viver perfeitamente sem estas coisas”.
Isto é uma grande verdade. Em nosso dia-a-dia nos prendemos à tecnologia e à informação de forma tão desesperada, que nos tornamos dependentes de tais coisas. Nos comportamos como que se não tivéssemos acesso ao celular, à internet ou à informação, não poderíamos viver. Isto é dependência.
Há pessoas que possuem dois, três celulares diferentes, e os usam de forma paralela. Consomem informação a todo o instante e já não admitem ouvir alguma notícia pela boca de um amigo, sem que primeiro já tenha visto algo na TV ou na internet. Acabamos, com isso, ficando presos a necessidades, e preenchemos com elas e outras coisas mais, um tempo valiosíssimo que poderíamos estar empregando, talvez, quem sabe, em coisas mais nobres. Não que não tenhamos tais tecnologias e entretenimentos, mas que possamos controlar melhor o seu uso, e voltarmos, por exemplo, a brincarmos de bola com as crianças no quintal de casa, ou na rua, ao invés de permitir que elas fiquem horas e mais horas na frente de um Vídeo Game, de uma TV e do computador.
Nem sempre aquilo que parece ser impossível que vivamos sem ter ou usar, realmente é essencial.
Alguém, certa vez, falando sobre o progresso do município e a tecnologia disponível onde vive, me disse: “-Que bom que nasci e estou vivendo nestas décadas, pois quem viveu neste município há uns 50 anos atrás só andava na lama, e não tinha acesso a nada. Que vida essa gente vivia?”
Eu respondi com a seguinte frase: “Elas nadavam e pescavam e passeavam com a família nos rios que agora nós transformamos em valão. Dormiam com as janelas abertas e sobrava um pouco de tempo ainda para ser mais felizes”.
Será que eles desejariam trocar a vida que viviam pelo progresso que alcançamos?

Gilberto Horácio.


Um comentário:

Anônimo disse...

Também concordo que podemos viver sem o progresso, afinal no passado todos viveram, e desfrutavam de uma vida mais saudavel, entretanto não dispunham de conquistas importantíssimas como temos hoje, principalmente na área da medicina moderna.
Sabrina Fonseca. SP