SOU EVANGÉLICO, SOU FELIZ, UMA ANÁLISE DAS PRINCIPAIS QUESTÕES DA VIDA EVANGÉLICA

Por apenas: R$ 19,99 com FRETE GRÁTIS PARA TODO O BRASIL

UM LIVRO PARA ABENÇOAR A SUA VIDA.

Veja alguns capítulos que você vai encontrar neste livro.
– Ser evangélico
- Posso ser evangélico sem frequentar a igreja?
– Qual é a roupa de um evangélico?
– Como se comportar no culto evangélico
– O perigo dos cargos
– Como entender os desentendimentos dentro da igreja?
– Seu relacionamento com os demais membros
– Quanto, em dinheiro, entregarei na igreja?
– Quando o sofrimento bate à porta de um evangélico
– Entendendo por que nem todos são curados
– Evangélicos divorciados
– Ouvindo músicas não evangélicas
– Bebida alcoólica no copo de um crente?
– Nem todos falam línguas estranhas?!
– Evangélicos certos de vidas erradas
– Igreja pequena ou igreja grande?
– Excluindo membros - um mal necessário?
– Amigos e relacionamentos apenas com evangélicos?
– O que nos une é maior do que o que nos separa
– O evangélico e a morte – O que importa é ser salvo, ser você e ser feliz dentre outros capítulos.
Comprando este livro você estará abençoando e sendo abençoado. Há algo especial de Deus nele para você.
Um livro que fala de fé e de esperança.

Peça já o seu exemplar!

À VENDA NOS SEGUINTES LOCAIS:


* LIVRARIA DA IGREJA DE NOVA VIDA DE DUQUE DE CAXIAS.
Av. Presidente Tancredo Neves, 687 – Vila Itamaraty(Itatiaia) – D. de Caxias Tel./fax: (21) 3658-3200 E-mail: igreja@novavidacaxias.com.br


* Livrarias Celebrai do Shopping Center de Caxias. Rua Mariano Sendra dos Santos, SN - Duque de Caxias - RJ Quadra 4 - Loja 10 | Cel.: (21) 9346-7347 - Tel.:(21) 2671-6073

* LIVRARIA ITATIAIA NO UNIGRANRIO SHOPPING CAXIAS.
Rua Prof. José de Souza Herdy 1216. 25 de Agosto - Duque de Caxias. Tel. (21) 2671-2808


* EDITORA CONSELHO. Av. Eunice Gondin, 160, sala 206, Recreio dos Bandeirantes, RJ Tel. 3326-3844


COMPRE AGORA E RECEBA O LIVRO EM SUA CASA COM A SEGURANÇA DO pagseguro

Por apenas: R$ 19,99

Frete GRÁTIS para todo o Brasil

Através do pagSeguro você compra parcelado através dos principais cartões de crédito.
Compre também por telefone:(21) 99697-4191 e peça seu exemplar. Você vai recebê-lo na comodidade da sua casa, com total segurança e a credibilidade dos correios. Você pode comprar também por depósito bancário: Deposite o valor de R$ 19,99 na seguinte conta: Banco Santander: Agência: 4618 Conta Corrente: 01001027-8 Envie-nos e-mail constando a a data e a hora o depósito, seguido de seu endereço completo, com CEP e telefone para contato.

Você receberá em sua casa o livro SOU EVANGÉLICO, SOU FELIZ. Uma análise das principais questões da vida evangélica.

Você vai entender muito do que acorre dentro de uma igreja evangélica no Brasil. Vai ter a fé despertada, o amor a Cristo, à igreja e a você mesmo racionalizados e fortalecidos de forma simples mas, direta.

Não perca mais tempo! Investir em conhecimento é investir em você. Peça agora e seja muito abençoado pelo que vai ler e aprender.
UM LIVRO QUE TRATA DE FORMA PRÁTICA QUESTÕES VIVIDAS DENTRO DA IGREJA EVANGÉLICA.

sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Que chegue o momento da morte!


A cada fim de um ciclo e o início de outro, deve ser motivo de muita reflexão. Eu tenho esta prática. Seja o fim de um dia e o início de outro, seja o fim de uma semana e o início de outra, como também o fim e o início de um mês, um ano, uma década, precisam ser acompanhados de íntima reflexão; um olhar para dentro de nós mesmos para sabermos o que fomos, o que representamos, o que queremos ser e o que queremos representar. Jesus disse para sermos o sal da Terra e a luz do mundo. Mas e se o sal se tornar sem sabor? E se a luz perder o brilho e a intensidade?

A vida na sociedade “moderna” tem levado as pessoas, cada vez mais, a pensarem em si mesmas, em seus projetos pessoais, ambiciosos e individualistas. Um culto extremista do corpo, da saúde e do sucesso tem feito seres consumidores no lugar de seres HUMANOS.

Jesus nos disse que precisamos morrer; morrer é a solução. Mas, como vem a ser esta morte? Esta morte tem um objetivo muito claro: produzir vida. "Na verdade, na verdade vos digo que, se o grão de trigo, caindo na terra, não morrer, fica ele só; mas se morrer, dá muito fruto." (João 12 : 24)

A semente precisa morrer para produzir frutos e conosco não é diferente. O que Deus quer de nós é um comprometimento com o chamado que Ele nos fez para o amarmos acima de todas as coisas e ao nosso próximo como se fosse nós mesmos. Isso significa abrir mão de coisas e prazeres para o bem comum, para o cumprimento da vida de Deus em mim. Se alguém não crê em Deus estando ao seu lado, você está morto, assim como Deus. Você é responsável por fazer um Deus vivo em alguém. Como isso é possível? Isso é possível quando deixamos de pensar apenas em nós, mas passamos a pensar também em quem está ao nosso redor.

Ir à igreja, levantar aos mãos, ser um dizimista em alguma congregação cristã, ser um homem de boas obras não é suficiente; é preciso morrer. Se eu não morro, não posso dar frutos. Posso até continuar vivo, mas ficarei só; entretanto se eu morrer, darei muitos frutos e viveremos para sempre sob os cuidados do jardineiro, do Éden, do Getsemani, da vida: Jesus Cristo. Que Ele nos regue com as límpidas águas do trono neste novo ciclo que se inicia amanhã. Um novo ano de transformação em nossa existência, com a gratidão da vida que nos dá até agora.

Gilberto Horácio

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

As marcas de um natal que precisa mudar.


O Natal é, sem dúvidas a festa mais celebrada por cristãos de todo o mundo. Embora o Natal, na sua origem, não tenha nenhuma ligação com o cristianismo, ele é um momento em que as famílias se mobilizam para estarem juntas. O aniversário de Jesus Cristo dificilmente foi no dia 25 de dezembro. Provavelmente Jesus nasceu em setembro, aproximadamente seis meses depois da Páscoa. Na data de 25 de dezembro era realizada uma velha festividade pagã de adoração ao Sol. A única coisa que mudou foi o nome. A origem da árvore de Natal vem da antiga Babilônia. Vem de Ninrode, neto de Cão, filho de Noé. Acreditava-se que ele ao morrer teria ressurgido na vida de uma árvore, um pinheiro que cresceu da noite para o dia. Todo ano ele viria na data de seu aniversário e deixava presentes no pinheiro.

Mas, a despeito da realidade da origem do natal, é uma data importante para repensarmos nossa vida como cristãos, como pais, como filhos, como amigos. Será que temos vivido nossa família? Será que temos vivido nossos amigos? Será que temos amado os outros como a nós mesmos? O Natal não é para comermos ou bebermos apenas, mas é muito mais confraternização entre as famílias e reflexão do que temos sido e vivido.

Será que basta viver uma vida longe de meus filhos, permitir que vejam minha vida de erro, meus piores exemplos de atitudes e em um dia de natal achar que uma frase em um cartão de presente vai curar as marcas de um passado? Se amassarmos uma folha de papel, ainda que venhamos a abri-la, jamais deixará de ser uma folha amassada. Se pregarmos pregos em uma tábua, e um dia quisermos retirar estes pregos novamente, jamais retiraremos as marcas que ali foram deixadas. O que podemos fazer é buscar a cura nas folhas que vem de Gileade, no remédio que tem em Gileade que é Jesus.
Por isso na noite de natal é um dia especial sim para refletirmos e, muito mais que isso, tomarmos a atitude de mudança. Mudar de atitude para conosco mesmo, mudar de atitude para com os amigos que estão fieis ao nosso lado. Eles valem ouro! Mudarmos de atitude para com os pais, irmãos, filhos.

A Bíblia diz que não existe maior amor do que este: de alguém dar a vida por outro. Pode parecer que este versículo fala de alguém morrer por alguém. Não! Não é isso que entendo nestas palavras. Não é dar a morte pela vida de alguém, é dar a própria vida por outra pessoa. Isso significa, por exemplo, uma mãe ou um pai abrir mão de seus próprios sonhos e possíveis ambições para ver a felicidade de um filho ou de uma filha. Conheço pais que não sabem se o filho ou a filha está ao menos com um prato de comida para comer, na verdade, nunca souberam o que é amar de verdade, nunca souberam o que é o verdadeiro amor. O verdadeiro amor não é egoísta com diz em I coríntios capítulo 13, não busca os seus interesses, não folga com a injustiça, mas folga com a verdade;

Conheço filhos que não reconhecem seus pais, e desconhecem, portanto o próprio Deus da Bíblia, que diz que temos que honrar pai e mãe para que se prolonguem nossos dias na terra, pois, é o primeiro mandamento com promessa. E neste contexto, o filho que diz que já tem dezoito anos e pode ser dono do nariz não conhece a Palavra de Deus, e o pai ou mãe que diz de igual modo que não tem mais responsabilidade sobre um filho ou filha que já fez dezoito anos também não tem conhecimento da Palavra de Deus. Para Deus não existe divisão de responsabilidades ou de amor ao se completar dezoito anos, ou qualquer idade; para Deus filho sempre será filho, mãe sempre será mãe, pai sempre será pai e irmão sempre será irmão. O que passa disso é procedência maligna.

O pai do filho pródigo realmente o amou. Ele poderia ter cinqüenta anos, e mesmo seu filho ter gastando parte de seus bens, o aceitou de volta para viver com tudo o que lhe restara.
E as amizades? Pessoas que vivem anos em função do amor que tem a outras, assim como Daví e Jônatas, e em determinados momentos da vida, se referem aos velhos amigos, apenas com uma mensagem em um cartão, um e-mail ou um “scrap” eletrônico em um site de relacionamentos qualquer.

Será que é esse o natal que queremos? O Natal do dia 25 de dezembro, onde era realizada uma festa pagã, um dia em que provavelmente Jesus não nasceu, ou em todos os dias do ano? Há desvios geralmente em famílias onde foi apresentado o papai-noel, no lugar de Jesus Cristo.

Poderíamos discorrer sobre muitos outros pontos delicados nos relacionamentos familiares e sociais que devem sofrer reflexão e mudança na vida das famílias, especialmente no natal, onde é celebrado o Cristo que Nasceu para nos salvar da condenação eterna. O Cristo que veio trazer TRANSFORMAÇÃO na vida dos homens. A Ele glória sempiterna amém!

Um Feliz Natal de reflexão e mudanças para todos!

"Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz." (Isaías 9 : 6)

Gilberto Horáco

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Guarda o teu coração do golpe!


Quando na guerra busca-se matar o inimigo, a todo o tempo o foco é o coração. Ao ser atingido o coração, dificilmente alguém consegue escapar com vida. O coração humano é o órgão responsável pelo percurso do sangue bombeado através de todo o organismo. Bate cerca de 100 000 vezes por dia, bombeando aproximadamente 7 500 litros de sangue.Neste tempo o órgão bombeia sangue suficiente, para percorrer todo o corpo nos sentidos de ida e volta, transportando assim, oxigênio e nutrientes necessários às células que sustentam nosso corpo.

Devido a esta fundamental importância para a vida do corpo humano, o coração deve receber nossa atenção especial. E em um ambiente de conflito, será ele o alvo principal. Em situações como essa, ele deve ser protegido.

Em nossa vida espiritual, não é diferente. A todo o tempo nosso coração é atacado. Não mais o coração físico, mas aquele abstrato, mas real, que também habita dentro de nós. Tristezas, decepções, angústias, ameaças, invejas, malícia, corrupção, e o pecado propriamente dito, tentam a todo o tempo atingir o nosso coração; pois é sabido também no reino espiritual, que atingido o nosso coração, certamente morreremos. Por isso, diz o provérbio: “Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as fontes da vida; (Provérbios 4 : 23). É preciso que estejamos atentos às flechas lançadas contra nosso peito. Do nosso coração procedem as fontes de vida, de alegria, de esperança, de fé. A porta de entrada do coração são os olhos, são os ouvidos, são os pensamentos. É preciso ter vigilância.

O salmista escreveu este sentimento ao dizer: "Escondi a tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti;" (Salmos 119 : 11). O salmista desejou guardar a Palavra de Deus em seu coração, para mantê-lo protegido das ameaças externas. E quantas ameaças diariamente são! Ameaças estas que podem ser uma palavra mal colocada por alguém, a vergonha por algum erro cometido no passado, uma decepção com os outros ou consigo mesmo e tantas outras.

Muitas serão as armas usadas pelos nossos inimigos para nos atingir. Uma pessoa triste e abatida não tem forças para lutar e muito menos para vencer, mas uma pessoa alegre é forte e vitoriosa, pois a alegria do Senhor é a nossa força. Portanto, se percebermos que o ataque está mais intenso e acabamos por ficar vulneráveis, rapidamente usamos a armadura Palavra de Deus para que o nosso coração esteja sempre firme e livre de qualquer golpe.

Lembre-se: não há como se distrair enquanto estamos na guerra! Nossa preocupação deve ser muito mais de se proteger do que atacar. Se você atacar a vida desprotegido, mais cedo ou mais tarde, infelizmente, será, sem esperar, atingido.

Gilberto Horácio

domingo, 5 de dezembro de 2010

O Raio X da Alma


Raios X são basicamente o mesmo que os raios de luz visíveis. Ambos são formas de ondas de energia eletromagnética . O raio x é mais usado pela Medicina, para visualizar imagens do interior do corpo humano, principalmente os ossos. Para o corpo, ele cumpre o seu papel. Mas a imagem que quero comentar agora não é visível. Parece loucura pensar em uma imagem que não é visível, mas ela existe. É a imagem que somente um pode ver: Deus.

Deus nos vê. Ele nos contempla; sabe o que se passa em nossa mente, ele sabe como está a nossa alma. Assim como um raio x, e com infinita clareza Deus sabe o que se passa em nosso interior.
Muito do que acontece em nosso interior, lá dentro do coração, acaba se exteriorizando em nós, através de um semblante triste, de lágrimas, de um olhar ou mesmo de grande contentamento. Foi assim com Jesus, quando seu suor tornou-se gotas de sangue, tamanha a aflição que sentia. E Jesus sofreu agonia por nós, exatamente para que nós não as sofrêssemos. E se Jesus já nos livrou do peso da angústia, por que sofreremos e nos angustiaremos?

Jesus disse: “Venham a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados e eu vos aliviarei”. O de onde vem este alívio? Da entrega e confiança de que nosso amanhã é sondado e conhecido por Deus, o próprio Deus, que nos criou e nos ama. E se nos ama, Ele nos guiará por caminhos eternos, caminhos que trafegam pela existência plena da paz.

A Bíblia diz que Deus não vê, como vê o homem. O homem vê o que está diante dos olhos, mas o Senhor olha para o coração. (I Samuel 16 : 7)

Nada podemos esconder da força do olhar de Deus. Nada. Tentei escolher algum versículo do salmo 139 que pudesse embasar a forma como o Senhor nos vê por completo, mas foi impossível escolher apenas um. Descobri que o salmo 139 é o detalhamento da certeza de que O Espírito Santo de Deus é o raio x de nossa alma, o raio x de verdadeiramente quem você e eu somos.

Portanto, precisamos entender que somos totalmente conhecidos de Deus, assim como uma carta lida, e, se somos lidos por Ele, temos certeza de que agirá em nosso favor, vendo em nós um coração sincero para com Ele, que cumpre os únicos mandamentos que Jesus deixou: amar a Deus sobre todas as coisas o próximo como se fossem nós mesmos. Se este amor for visto, esquadrinhado pelo Pai das Luzes em nosso coração, teremos a certeza de que Ele cuida e continuará cuidando e nós para sempre. "Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós." (I Pedro 5 : 7)

E lançar sobre Ele nossas ansiedades significa descansar, de joelhos se humilhar; ainda que não tivermos palavras, nossos joelhos se dobrarão diante daquele que tem o poder de nos ver e exaltar a todo aquele que se humilhar ou que for humilhado.

Portanto, que a certeza de que O Espírito Santo nos revela a Deus exatamente como somos nos faça confiar em seu infinito amor que nos fará sempre sentir sua doce presença nos momentos em que a força nos quiser faltar. Saiba Deus nos conhece e nos ama assim com somos. O seu amor é incondicional, um amor externado Nele através de sua infinita misericórdia e graça.


SALMO 139
1 SENHOR, tu me sondaste, e me conheces.
2 Tu sabes o meu assentar e o meu levantar; de longe entendes o meu pensamento.
3 Cercas o meu andar, e o meu deitar; e conheces todos os meus caminhos.
4 Não havendo ainda palavra alguma na minha língua, eis que logo, ó SENHOR, tudo conheces.
5 Tu me cercaste por detrás e por diante, e puseste sobre mim a tua mão.
6 Tal ciência é para mim maravilhosíssima; tão alta que não a posso atingir.
7 Para onde me irei do teu espírito, ou para onde fugirei da tua face?
8 Se subir ao céu, lá tu estás; se fizer no inferno a minha cama, eis que tu ali estás também.
9 Se tomar as asas da alva, se habitar nas extremidades do mar,
10 Até ali a tua mão me guiará e a tua destra me susterá.
11 Se disser: Decerto que as trevas me encobrirão; então a noite será luz à roda de mim.
12 Nem ainda as trevas me encobrem de ti; mas a noite resplandece como o dia; as trevas e a luz são para ti a mesma coisa;
13 Pois possuíste os meus rins; cobriste-me no ventre de minha mãe.
14 Eu te louvarei, porque de um modo assombroso, e tão maravilhoso fui feito; maravilhosas são as tuas obras, e a minha alma o sabe muito bem.
15 Os meus ossos não te foram encobertos, quando no oculto fui feito, e entretecido nas profundezas da terra.
16 Os teus olhos viram o meu corpo ainda informe; e no teu livro todas estas coisas foram escritas; as quais em continuação foram formadas, quando nem ainda uma delas havia.
17 E quão preciosos me são, ó Deus, os teus pensamentos! Quão grandes são as somas deles!
18 Se as contasse, seriam em maior número do que a areia; quando acordo ainda estou contigo.
19 Ó Deus, tu matarás decerto o ímpio; apartai-vos portanto de mim, homens de sangue.
20 Pois falam malvadamente contra ti; e os teus inimigos tomam o teu nome em vão.
21 Não odeio eu, ó SENHOR, aqueles que te odeiam, e não me aflijo por causa dos que se levantam contra ti?
22 Odeio-os com ódio perfeito; tenho-os por inimigos.
23 Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conhece os meus pensamentos.
24 E vê se há em mim algum caminho mau, e guia-me pelo caminho eterno.

Gilberto Horácio

domingo, 28 de novembro de 2010

Apesar das adversidades, seremos vencedores.

Mesmo nas adversidades, o Senhor está cuidando de nós. Vemos isso no exemplo de Ana, escrito no Livro de Samuel capítulo 1. Ana, casada com um homem chamado Elcana, tinha uma opositora chamada Penina, também mulher de Elcana (naquela época, naquele povo, os homens se casavam com mais de uma mulher). Penina tinha filhos enquanto Ana era estéril. Penina causava muitos sofrimentos a Ana, a irritando e zombando dela por ser estéril.

Entretanto, Ana não desistiu de seu sonho, não desistiu do sonho de ter um filho, chorou angustiosamente no Templo do Senhor, na Casa de Deus, até que o Senhor Deus ouviu suas orações e súplicas e ela engravidou. Deus tirou assim a vergonha que sentia por ser estéril. Apesar das adversidades, o Senhor está conosco, assim como esteve com Ana. Com um coração grato, ela entregou seu filho Samuel para servir no templo todos os dias de sua vida, como gratidão ao Senhor por ter ouvido suas súplicas.

Para vencermos também as adversidades que se colocam diante de nós é preciso que sejamos obedientes. É preciso que sejamos crentes. Ana não desistiu de acompanhar o marido, de ano em ano, quando subiam à Casa do Senhor em Silo para adorá-lo. E lá ela obteve resposta aos seus sonhos.

É preciso ser forte, resistir aos ataques do mal. A tribulação é um treinamento através do qual Deus aperfeiçoa o caráter do crente, fortalecendo sua fé. Ana foi mulher de oração, diante das circunstâncias, ela não esmoreceu a sua fé. Para vencermos as adversidades precisamos ter uma vida de oração.

Ana, foi uma mulher mansa, embora a outra a afligia, não lemos que Ana era mulher briguenta, pelo contrário, ela chorava. Precisamos ser mansos para vencermos os ataques que tentam nos tirar da graça diariamente. Ana foi perseverante, lutou pelo seu ideal, em oração. Ela glorificou a Deus orando e cantando. É preciso ser grato ao alcançar conquistas.

Antes, durante e depois de conquistarmos as vitórias temos que oferecer o melhor que temos a Deus. Ana ofereceu o melhor que ela tinha para Deus, seu próprio filho. O mundo pode tentar nos rotular estéril, mas seremos geradores de sonhos. Ana estava permitindo que Penina mudasse seus hábitos; não festejava mais. não sentava amis à mesa com a família. Se não mudarmos a situação, a situação nos mudará. A vida é como andar de bicicleta. Para manter seu equilíbrio você deve continuar em movimento.

No cego que foi curado por Jesus, vejo nossas vidas. O manto da indigência não tem a ultima palavra, a margem não foi o lugar preparado para mim. As vozes querendo me calar não foram capazes de silenciar minha sede de felicidade. Paulo e Silas cantaram e os alicerces do cárcere se moveram.

Até que o sol brilhe, acendamos uma vela na escuridão. O rio atinge seus objetivos porque aprendeu a contornar obstáculos. “Se Deus é por nós, quem será contra nós?”

2 Cor 1:3-4 "Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai das misericórdias e o Deus de toda a consolação; 4 Que nos consola em toda a nossa tribulação, para que também possamos consolar os que estiverem em alguma tribulação, com a consolação com que nós mesmos somos consolados por Deus."

“Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada?”(Rm 8.35).

Rm 12.12 "Sedes Pacientes na tribulação, alegrai-vos na esperança, sede pacientes na tribulação, perseverai na oração;" Deus é quem fecha a porta porque Ele é quem vai abrir a porta. Fere para Ele sarar a ferida.

Vale a pena confiar. Vale a pena esperar. Apesar das adversidades, sempre seremos vencedores. Só depende de você.

Gilberto Horácio

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Vendo o invisível.

“Pela fé Moisés, sendo já grande, recusou ser chamado filho da filha de Faraó, Escolhendo antes ser maltratado com o povo de Deus, do que por um pouco de tempo ter o gozo do pecado; Tendo por maiores riquezas o vitupério de Cristo do que os tesouros do Egito; porque tinha em vista a recompensa. Pela fé deixou o Egito, não temendo a ira do rei; porque ficou firme, como vendo o invisível.” Hebreus 11:24-27

Quando estou em um ambiente aberto, especialmente um lugar bem alto como uma colina, ou até mesmo na cobertura de uma casa, sinto o vendo no rosto, mas não o vejo. Fecho os olhos e sinto o toque do vento em meu rosto. Não o vejo mas ajo como se estivesse vendo o invisível; sei que o vento é real. Ele está ali. Assim também é a fé. Não vemos a fé, mas ela está em mim. Ela é capaz de nos transportar para um estágio de superação e supremacia sobre as dificuldades.

O próprio Deus não é visível. Ele é real, pois desenvolvemos sentimentos por Ele e Ele demonstra os mesmos sentimentos por nós, explicitados no Amor, no cuidado diário. Agimos com Ele como se estivéssemos vendo o invisível. Conversamos com o Todo Poderoso, somos ouvidos por Ele; ouvimos sua voz. “Que voz?”, talvez você possa perguntar. Isso é entendido somente por quem já conseguiu agir como vendo o invisível. Aqueles que agem como vendo o invisível na verdade possuem algo bem em vista: uma recompensa. Moisés tinha em vista uma recompensa(v.26). A maior recompensa que um humano pode receber é o céu. Não há nada maior e que se assemelhe em valor.

Todos os seres humanos possuem uma natural satisfação no ato do ser presenteado. E ter a certeza que receberemos uma recompensa da parte daquele que é o Dono da Vida, o próprio Deus nos faz ter a certeza de que o invisível não precisa ser visto, para ser alcançado. Você pode fechar os olhos agora e ter tudo o que quiser, mesmo que não seja visível agora, mas já se tornou real. E o que é real, já faz parte de sua vida.

Gilberto Horácio

domingo, 14 de novembro de 2010

O alvo é você quem mira.

Cada um de nós tem sonhos e projetos. Você está focado neles? O que espera ser no próximo ano? Onde e com quem espera viver? Provérbios 16 diz que o coração do homem pode fazer planos, mas a resposta certa vem dos lábios do Senhor. Planos e sonhos devem fazer parte de nossas vidas mesmo que tenhamos cem anos de idade, porque mais vale um dia com o olhar no futuro do que uma vida presa ao passado, e, o que já passou, já foi, não será mais.

Nós precisamos sonhar, buscar a concretização dos sonhos e crer que tudo será alcançado. Se jogarmos uma semente no chão, ela pode ser levada pelo vento, pela chuva, por algum pássaro. Mas se ali ficar por muito tempo, ela criará raízes, e quanto mais o tempo passar suas raízes serão mais profundas, não poderá mais se movimentar ou sonhar com novos lugares, dependerá da chuva ou e alguém que a regue.

O nosso olhar deve estar no futuro. Podemos lembrar-nos do passado, para aprendermos com ele, mas o nosso foco deve ser o porvir. Quando alguém mira em um alvo, concentra-se e fixa nele o olhar e esse é o segredo: o alvo é você quem mira. E se é você quem mira, concentre-se realmente no que quer atingir.

O principal alvo de um cristão é o céu, onde não haverá morte, nem dor, nem pranto, nem trevas, mas enquanto cidadão deste mundo nosso alvo deve mirado com a precisão de quem sabe o que quer.

Será que não é hora de mudar de igreja, ou voltar para sua antiga igreja dos melhores momentos de sua vida? Será que não é hora de mudar de emprego, cidade, endereço? Será que não é o momento de traçar os planos de seu casamento, de seu ministério? Uma coisa é certa: o alvo é você quem mira. Se mirar errado via perder o alvo. Mas se mirar com exatidão, calma e convicção que acertará, suas raízes se tornarão em asas.

Gilberto Horacio

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Quando não temos ninguém por nós.


Quando não temos ninguém por nós, ninguém que nos ouça, ninguém que nos abrace, ninguém que nos apóie, somos chamados por uma doce voz que nos diz: “o que queres que eu te faça?” Esta voz é a voz de Jesus. Ele fez isso em Jerusalém quando curou um homem que há trinta e oito anos estava enfermo, esquecido e sozinho. Talvez seja exatamente assim que você ou alguém que você conheça esteja se sentindo: doente, esquecido e sozinho. Talvez você já tenha se sentido assim um dia, ou ainda talvez possa se sentir desta maneira em algum momento de sua vida no futuro.

Mas aprendi algo especial para minha vida. Nunca estarei só, esquecido ou doente para sempre. Se em algum momento assim me sentir, por certo, sei em quem tenho crido e sei que Ele é poderoso, e em um dado momento ouvirei sua doce voz, ainda que não “audível”, como já ouvi inúmeras vezes dizendo: “filho meu, estou aqui, descansa em meu amor, confia em mim, o que queres que eu te faça?”

Esta cura foi registrada na Bíblia, no livro de João, capítulo 5. Acreditava-se que uma vez por ano um anjo agitava as águas do tanque de Betesda em Jerusalém, e o primeiro que ali entrasse ficava curado de sua doença.

Este homem disse a Jesus : “ Senhor, não tenho homem algum que, quando a água é agitada, me ponha no tanque; mas, enquanto eu vou, desce outro antes de mim”.

Havia muitos doentes naquele lugar, mas somente este foi curado. Os outros provavelmente tinham alguém por eles; este enfermo não tinha ninguém. Mas, Jesus é aquele que contempla o sofrimento humano, porque Ele, humano também se fez. Ele sabe o que sentimos quando nos sentimos sós. Ele sabe o que é se sentir sozinho, quando se sentiu só, na cruz, ao ponto de dizer: “Deus meu porque me desamparaste?”

E é exatamente nesta hora, de aparente solidão, injustiça e desalento que Ele mostra que nos vê. Não importa onde estivermos, Ele sempre nos vê e nos envolve através do mistério do Espírito Santo que sopra ao nosso redor sua voz e sua presença inconfundível.

Portanto, se você estiver às portas de Jerusalém, se você estiver onde os anjos costumam operar (ainda que demore a água ser agitada), saiba que é exatamente aí que Jesus vai mostrar a você, que mesmo que tudo pareça no fim, é apenas um novo tempo de cura, alegria e paz. Nunca perca a esperança de ser alcançado pela voz do mestre, a voz de Jesus. Pode ser agora. Os últimos, na verdade são: primeiros.

Gilberto Horácio

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Quem é sua referência?

Os seres humanos são fortemente influenciáveis. Ao vermos as pessoas praticarem, diversas vezes, determinado comportamento, é possível que o desenvolvamos também. E, em virtude desta realidade buscamos referências para nossas condutas e comportamentos. Os roqueiros, por exemplo, ao apreciarem este estilo musical, com o passar do tempo, começam a vestirem-se, falarem e se comportarem de uma maneira geral como seus ídolos do rock. Assim também como em todas as áreas da vida. Atribui-se, inclusive, aos filmes de Hollywood a uma grande disseminação do fumo a nível mundial, onde sempre se apresentava, no passado, galãs fumando nas cenas de filmes, como algo apreciável e elegante.

Especialistas em educação e comportamento conferem aos pais a grande e mais importante responsabilidade quanto à tarefa de serem referência para os filhos. Segundo eles, os filhos sempre copiarão as atitudes e comportamentos dos pais, e, se este comportamento não for bom e louvável, estas crianças terão suas referências corrompidas. Nesta ausência de referências, buscarão em outras pessoas estes parâmetros a se moldarem. O grande risco está em estas crianças se basearem em pessoas de mau caráter como referência.

Temos na Bíblia a história do Rei Josias, que reinou em Jerusalém, no período de 640 a 609 a.c. (2 Rs. 22). Seu pai foi um péssimo exemplo, pois viveu longe de Deus, assim como seu avô. Quando o pai de Josias morreu assassinado, ele era ainda uma criança, com oito anos começou a reinar em Jerusalém e reinou 31 anos. Ele fez o que era reto aos olhos de Deus, ao encontrar o livro da lei, que continha a Palavra de Deus escrita, que sempre é viva e produz o arrependimento que nos leva a Deus.

O interessante, nesta história é perceber que Josias não tinha mais seu pai, já falecido, que foi um homem mau aos olhos de Deus, e mesmo assim Josias escolheu o caminho da justiça, da verdade e da retidão. Entendo que isto está no fato dele ter escolhido colocar seus olhos em Deus como toda a fonte de vida e de referência para sua existência.

Não importou que seus antepassados tenham sido homens maus, Josias preferiu não olhar para eles mas olhar unicamente para o Senhor Deus de Israel. E ele tomou a decisão mais acertada que um homem pode ter. O caráter de Deus é perfeito, digno de toda a referência e aceitação e este caráter foi manifesto a nós por meio de Jesus Cristo, o próprio Deus se manifestando em carne. Assim também entendeu o apóstolo Paulo quando disse: “sede meus imitadores, como eu o sou de Cristo” (I Coríntios 11 : 1).

E nós, queridos e queridas de Deus, onde estamos colocando nossas referências? Em pastores, bispos, apóstolos, padres, diáconos, cantores, políticos, artistas...? Que nossa referência seja a mesma escolhida pelo rei Josias: o próprio Deus, e Ele por meio de Jesus. Quando percebermos, de forma natural, seremos com Eles semelhantes.

Gilberto Horacio

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Precisamos um do outro.

“Melhor é serem dois do que um, porque têm melhor paga do seu trabalho.
Porque se um cair, o outro levanta o seu companheiro; mas ai do que estiver só; pois, caindo, não haverá outro que o levante.
Também, se dois dormirem juntos, eles se aquentarão; mas um só, como se aquentará?
E, se alguém prevalecer contra um, os dois lhe resistirão; e o cordão de três dobras não se quebra tão depressa.”

Este texto do livro de Eclesiastes capítulo 4 nos mostra que o ser humano é um ser social. Nós fomos criados com uma necessidade nata de relacionamento. Amigos, parentes e conhecidos são dobras de um cordão. A forma mais segura que as pessoas encontram para se certificarem de que terão pessoas ao lado durante a vida é o casamento. E, de fato, o casamento traz esta segurança através do cônjuge e dos filhos. Mas o casamento, embora o mais seguro, não é o único meio de manter-se amparado.

Os amigos, os conhecidos e parentes são pessoas que estão ao lado. E este estar ao lado faz toda a diferença; saber que podemos contar com as pessoas é algo que todos precisamos. Há quem diga que nossos parentes são os nossos vizinhos, porque se “dermos um grito” são eles que nos acudirão.

Aqueles que estão no aniversário de nosso filho, aqueles que nos visitam no natal, nos ligam em nosso aniversário, jogam futebol conosco, nos emprestam um martelo ou um pouco de pó de café. Pessoas para nos aconselhar a fazer um concurso, a procurar um novo emprego ou resistir às dificuldades do nosso.

Como é diferente quando fazemos um curso quando temos um amigo conhecido na sala. Como é diferente quando vamos a uma festa bem distante e sabemos que um amigo nos acompanhará porque também vai à mesma festa. Como é ruim quando vamos procurar um emprego e combinamos com um colega para ir conosco e quando estamos saindo de casa ele nos liga avisando que não poderá ir e teremos que ir sozinhos.

Dizem que para sabermos quantos amigos temos, devemos oferecer uma festa, e para sabermos a qualidade deles devemos aguardar quando estivermos doentes. E isso é fato. Precisamos sim de uma visita quando estamos doentes. Precisamos sim de pessoas ao nosso lado para nos ajudar a gritar por nossos direitos e dores.

Já ouvi alguém dizer que no céu todas as colheres serão gigantes porque ninguém vai levar sua própria colher à boca, mas cada um vai servir levando sua colher à boca do seu próximo para alimenta-lo e da mesma maneira será alimentada por ele.

A visão do autor de eclesiastes, inspirado por Deus, é a de aconselhar; aconselhar a ter pessoas; mas, pessoas não se vendem em prateleiras. Pessoas são conquistadas, granjeadas uma a uma, com o tempo e com a vida, abertura da vida para receber vidas.

Atenção, cuidado, observação, estar presente, auxiliar, amar e ajudar a carregar as cargas do meu próximo produzirão exatamente estas pessoas que serão em um futuro próximo os meus próximos, que serão comigo um cordão de três dobras. E esse ninguém quebra. Hei, conte comigo.

Gilberto Horácio

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Como saciar o tempo da vida, de você.

Quantas vezes nos deparamos conosco mesmo e dizemos que gostaríamos de mudar algo em nós! Quantas vezes sentimos a vontade de transformar algo ruim em algo bom. Quantas vezes nos sentimos em um esgotamento de recursos para atender a demanda ao nosso redor, uma demanda por nós e de nós.

Se você parar para pensar vai perceber que o seu chefe quer seu melhor e chega a dizer que você precisa se empenhar mais. Seu pastor também exige que você tenha mais empenho em sua vida ministerial. Sua esposa argumenta que você deveria ser uma esposo mais carinhoso e mais presente. Seus filhos dizem que você deveria ser um pai ou uma mãe mais atencioso, atenciosa.

Os médicos dizem que você precisa dormir no mínimo oito horas por dia, se exercitar pelo menos uma hora. Os nutricionistas aconselham refeições calmas e demoradas e ainda com uma soneca depois. Os especialistas do mercado de trabalho enfatizam que você precisa estudar, se capacitar para manter-se empregável. E quando você começa a se capacitar seus professores imaginam que você só faz estudar suas matérias e chegam a declararem a célebre frase, quando você reclama de tempo: “o que você faz de meia noite às seis horas da manhã?” Eu penso: mas os médicos não mandam-nos dormir neste horário? Pois é, os professores mandam-nos estudar.

Quando você encontrar com os amigos certamente dirão: “não tem mais tempo para os amigos né?” Se você freqüentar algum clube, associação, seja de amigos, de pesca, de futebol, eles também dirão: “Você está sumido, hein!?”. E seus parentes? Quando você der um telefonema no aniversário, eles também dirão: “Quanto tempo!”.

A verdade é que em muitos momentos nosso “vinho" acaba e como fazer para atender a tantos convidados que amamos e queremos servir?

É preciso ajuda de Jesus. Mande chamar Jesus. No Evangelho de João no capítulo 2, lemos a história de um casamento onde Jesus estava presente. Acabou o vinho no meio da festa. No desespero, chamaram Jesus. Ele ordenou que enchessem de água as vasilhas que estavam antes com o vinho que acabara. E o milagre aconteceu. A água se transformou em vinho. O melhor vinho já existente na terra, ao ponto de alguém dizer “Todo o homem põe primeiro o vinho bom e, quando já têm bebido bem, então o inferior; mas tu guardaste até agora o bom vinho.” V. 10.

É isso o que preciso fazer para não deixar faltar vinho na minha vida. Quando começar a acabar o vinho, é preciso chamar Jesus. Ele é o vinho novo que vai fluir através de minha vida para satisfazer os anseios de quem está ao meu redor. E para isso não preciso de muita coisa. Basta um pouco de água e fé, obedecendo o que Jesus mandou fazer, “encham as vasilhas de água”, e confiar que o mais, que á a transformação, Ele fará. Mas e a vasilha? Mas e a água? A água...? o Espírito Santo; a vasilha...? Eu! Você!

Gilberto Horácio

domingo, 10 de outubro de 2010

Se distingua entre os milhares.

O Monte Sinai (também conhecido como Monte Horeb) está situado no sul da península do Sinai, no Egito. Esta região é considerada sagrada por três religiões: cristianismo, judaísmo e islamismo. Mas, o que me faz ter verdadeiro fascínio por este monte, que é magnífico em toda a sua plenitude, é saber que são exatamente estas rochas, exatamente estas que presenciaram tudo o que está registrado no livro de Êxodo capítulos 19 e 20.

Deus desceu sobre este monte, do infinito de sua morada (ainda que hoje Ele habite dentro de nós, através do seu Espírito Santo onipresente) e falou com Moisés, falou com os seres humanos. O que foi possível ser visto pelos olhos humanos foi relâmpagos, trovões, um monte em fogo, fumegando e estremecendo, porque a presença do Deus Soberano e Criador estava sobre Ele.

Hoje, o Monte Sinal é venerado, ainda que a presença de Deus, visivelmente, não se apresente mais lá. Todavia, o mundo todo viaja àquelas rochas e veneram aquele lugar como um magnífico altar ao Deus vivo, o maior do planeta terra (ainda que hoje o maior altar é nosso coração). Mas considero também o Monte Sinal como muito especial por testemunhar a presença do Senhor da Vida.

O que quero falar sobre o Sinai, e que fica de ensino em minha vida é que o que fez o monte Sinai ser o grande monte de Deus, foi exatamente a sua presença. A presença de Deus é que o fez se distinguir de todos os outros montes da Terra. O monte Sinai tornou-se conhecido e santificado; tornou-se um referencial desta presença sublime de Deus. Sem esta presença aquele monte seria somente mais um monte.

Entendo que eu e você, amado leitor, seremos somente mais uma pessoa na multidão se não tivermos a presença de Deus em nós. A presença de Deus é o diferencial em nossas vidas. E assim como hoje o Sinai é lembrado como altar, como lugar separado e admirado, assim seremos se tivermos esta presença em nós. E saiba que as pessoas querem estar perto de quem está perto de Deus, isso é fato.

Moisés sabia muito bem disso, porque ele testemunhou isso, e orou ao Senhor, a oração que também deve estar em nossos lábios todos os dias; disse ele: “Se a tua presença não for conosco, não nos faça subir daqui”. Êxodo 33:15

Sabe o que neste mesmo capítulo o Senhor da vida disse a Moisés? “A minha presença irá contigo para te fazer descansar”.

Que entendamos que é a presença e Deus é que nos faz felizes, nos faz completos, nos faz descansar, nos faz referencial de vida e paz. Se você quer ser distinguido entre os milhares, lembrado e admirado, seja cheio da presença de Deus.

Gilberto Horácio

domingo, 3 de outubro de 2010

Seja mais servo que líder.

JESUS

Encontramos em nossa sociedade e também na igreja, pessoas querendo assumir a posição de liderança, a posição de busca do poder; poucos são aqueles que querem assumir a posição de servo. Mas e se todos forem líderes onde estarão os servos? O Ensino que Jesus nos deu foi outro, o que está registrado em Filipenses 2 : 7 "Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens;" Isso parece ser contraditório, em um mundo de negócios e interesses onde o estar por cima e o galgar postos e cargos é sempre o desejado por todos e o mais importante. Pode ser visto exemplo melhor do que em períodos de campanha política?

Se Jesus que é o Rei dos reis e o Senhor dos senhores e assumiu a forma de servo, como eu poderia ter uma postura diferente? Eu que sou pó e cinzas devo ter essa certeza muito clara em minha vida. Lembremos do que o próprio Senhor Jesus disse: “Depois que lhes lavou os pés, e tomou as suas vestes, e se assentou outra vez à mesa, disse-lhes: Entendeis o que vos tenho feito? Vós me chamais Mestre e Senhor, e dizeis bem, porque eu o sou. Ora, se eu, Senhor e Mestre, vos lavei os pés, vós deveis também lavar os pés uns aos outros.” João 13 : 12,13 e 14.
Lavar os pés, humilhar-se, ensinos de submissão que nos fazem entender a lei da vida, onde aquele que se exalta é humilhado e aquele que se humilha é exaltado. Lembro que Jesus lavou os pés de Judas que o traiu.

Quando nos colocamos no centro da vontade de Deus, percebemos que o que Ele espera de nós é um comportamento de servir. E servir a Deus é um sinal de amor. Não o servimos por temor, ou por obrigação, pela vida que Ele nos deu, mas o servimos por gratidão. Servir a Deus significa expressar gratidão. E todos aqueles que possuem um coração grato, servirão por amor. O servir por amor nos trará uma vida realizada e completa.

Deve ser assim no casamento. Deve ser assim na igreja. Deve ser assim na família. Deve ser assim, você. Servir a Deus e às pessoas, por amor.

Gilberto Horácio

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Você é muito do seu Pai.

E eu serei para vós Pai E vós sereis para mim filhos e filhas, Diz o Senhor Todo-Poderoso. (II Coríntios 6 : 18).

Na formação de um ser humano encontramos além dos elementos genéticos, a formação do caráter, dos valores, dos ideais. Nesta formação a figura do pai e da mãe é insubstituível. Mas, e quando não há a presença do pai? E quando não há a presença da mãe? Podem ser preenchidos estes lugares por outras pessoas, mas jamais preencherão a lacuna deixada pelos pais, quando cumprem seus papeis na educação e formação de um indivíduo, que lhes cabem como missão.

Deus é nosso Pai. “Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome.” (I João 1). Seguindo este mesmo princípio, entendemos que manter um relacionamento com Deus na compreensão de tê-lo como Pai, é garantia de termos formado em nós um caráter espelhado do caráter de Deus.

Deus nos trata como filhos; Ele nos gerou, nos ama, nos protege e se relaciona conosco através do seu Espírito Santo, que é a sua presença verdadeira e perceptível. Quando nos tornamos filhos de Deus passamos a conviver com Ele, a aprender dEle, a admirá-lo e amá-lo. Na mesma medida do amor está a correção, capaz de imprimir em nós o temor que é o princípio de toda a sabedoria. Neste contexto está inserida a obediência que gera, enfim, o caráter de Deus em nós. Se errarmos menos, seremos mais felizes, conseqüentemente sofreremos menos também.

Não temos uma figura de mãe, em relação ao nosso Deus. Maria foi a mãe de Jesus, entretanto, Deus jamais conferiu esta maternidade sobre nós, ainda que Jesus tenha dito isto a João quando estava na cruz. Naquele momento Jesus falava sobre o compromisso de um cuidar do outro, amparar. Não temos esta figura materna sobre nós porque o amor de Deus é um amor pleno, um amor completo, um amor que supre tudo o que um ser humano precisa em termos de cuidado, presença que supre, em termos de amor e referência de caráter. O melhor ensino é o exemplo. O melhor pai é aquele que ensina com a própria vida e com as próprias atitudes. Se olharmos, então, para Deus, seus ensinos e sua vida revelada de amor ao homem, teremos todos os parâmetros necessários para sermos plenamente completos e felizes, tendo a segurança necessária de um Pai, e nele revelado o amor de uma mãe. Porque ainda que o meu pai e minha mãe me abandonasse o Senhor me recolheria.

Você pode falar com Deus todos os dias, a qualquer momento, em qualquer lugar. Ele sempre te ouvirá. E a paz que você sentirá em seu coração ao falar com Ele em oração será a mesma paz e a alegria de perceber diariamente sua mão forte estendida abençoando sua vida cotidiana como um Pai. E o mais fantástico é saber que assim como podemos perceber o jeito de uma pessoa, podemos também perceber o jeito de nosso Pai, falando conosco diariamente, em nossa vida e nos conduzindo a viver a plenitude da vida e do amor.

A presença de Deus , que supre, como Pai sobre nossas vidas não pode ser substituída por nada e por ninguém. De forma que aquele que não se torna em filho de Deus, não o tendo como Pai, viverá uma vida com um espaço vazio preenchido apenas pela paternidade de Deus.

Não seja um órfão. Você tem um Pai. Ele cuida de você agora mesmo. Você pode conversar com Ele, ouvir sua voz, bem dentro do seu coração e receber todas as dádivas que somente o amor de um Pai poderia dar.

Se nos tornarmos parecidos com o Pai seremos sua imagem e semelhança. Você pode vê-lo em você ao olhar no espelho da vida?

Gilberto Horácio

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Entender a existência de tudo. A respostas somos nós quem damos.

A filosofia é, por definição, a busca da verdade; o pensar, o questionar e o buscar respostas e explicações sobre a vida, e sobre tudo o que existe à nossa volta. Os primeiros filósofos iniciaram a busca das respostas sobre a existência e dedicaram suas vidas nessa busca. Alguns acreditavam que tudo era água, como a idéia sobre a realidade, defendida por Tales de Mileto, filósofo grego. Pitágoras acreditava que os números são as únicas realidades verdadeiras, e neles estão a essência de todas as coisas; Heráclito de Éfeso trouxe a idéia de que tudo está em mutação, que a realidade é o “Vir-a-ser”, que define sua idéia central exemplificadora de que jamais nos banhamos duas vezes no mesmo rio, visto este estar em contínuo movimento e mutação. Já outro filósofo chamado Parmênides acreditava que “Tudo o que é, é”. Segundo ele tudo o que existe de modo absoluto, não pode mudar. Princípios interessantes como pensar que nada pode vir do nada, e que se um dia o nada existiu, o nada ainda existiria agora. Se existe algo hoje é porque o nada nunca existiu.

Não podemos deixar de ressaltar a importância e o valor que estes primeiros pensadores e questionadores tiveram para a humanidade; o desenvolvimento da ciência teve toda a contribuição destes homens. Mas o fato de, por conseqüência terem contribuído com a ciência hoje conhecida e terem sido fomentadores do pensar, eles buscavam respostas para perguntas que não existem respostas. Como a capacidade de raciocinarem vem de Deus, eles chegavam bem perto de perceber coisas que realmente fazem direcionar para a verdade, de que existe um Deus que governa tudo, que antes de existir tudo o que conhecemos Ele já existia, que a composição dos seres vivos é realmente água, que tudo o que é, é; “E disse Deus a Moisés: EU SOU O QUE SOU. Disse mais: Assim dirás aos filhos de Israel: EU SOU me enviou a vós.” (Exôdo 3:14).

A verdade única e absoluta é suficiente. Deus pensou todas as coisas. E o que importa para mim é saber que ELE ESTÁ ACIMA DAS ESTRELAS. Isso é fé? Sim. Mas, também é razão. Assim como os primeiros filósofos pensaram e conjecturavam sobre a vida, hoje, também podemos fazer o mesmo; e, hoje temos muito mais base, temos a história, temos o conhecimento dos fatos, da ciência, um conhecimento mais maduro e evoluído para não mais buscar respostas inexistentes, mas para poder perceber que mesmo sem conhecermos o impossível de se alcançar, já podemos concluir que e mente de Deus pensou todas as coisas e nos pensou também, assim como estamos pensando agora. Deuteronômio 29:29 diz que “As coisas encobertas pertencem ao SENHOR nosso Deus, porém as reveladas nos pertencem a nós e a nossos filhos para sempre, para que cumpramos todas as palavras desta lei”. Essa é a verdade: que só poderemos chegar, onde o próprio Deus permitir. E isso implica poder pensar, comentar se existe, por exemplo, vida em outros planetas, mas ter a certeza que se existisse, Deus reinaria lá também, e se não devemos conhecer isso, jamais conheceremos. A fé nos faz saber que se existe o amor é porque Aquele que nos fez, sabe o que é o amor e nos ama, e cumprirá todas as promessas no que tange àquilo que nos revelou, que foi o sacrifício de seu Único filho, Jesus Cristo para que tivéssemos o direito de morar também ACIMA DAS ESTRELAS. Onde fica este lugar? Não sei te responder, e isso não é vergonha para os seres humanos, não é vergonha para mim. Basta você e eu, em uma noite de céu bem limpo, sair no quintal ou na varanda de nossa casa e olhar o céu estrelado. E no silêncio desta contemplação e com o coração querendo perceber a essência do criador, você vai encontrar todas as respostas dentro do seu coração. E é você quem irá pintar este céu. “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” João 3:16.

"Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito. Vou preparar-vos lugar." (João 14 : 2)

Gilberto Horácio

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Aprender é mudança de atitude.

A psicologia nos diz que aprender significa mudar de atitude. Se mudança de atitude significa aprender, logo, vejo a necessidade de aprendermos. E não somente aprendermos, mas também ensinarmos.

Vivemos em um país em que a educação é tratada com descaso. Vivemos em um mundo de pessoas egoístas e que entendem que o conhecimento pode ser utilizado para o enriquecimento. Todavia, louvo a Deus porque há pessoas, e são muitas, que entendem que o mundo pode ser mudado através do ensino. E foi isso que Jesus fez e nos incumbiu de fazer: ensinar.

Muito mais do que ensinar ciência, filosofia, astrologia, biologia, e todos os demais campos de estudo conhecidos pela humanidade, Jesus nos ENSINOU a ensinar e viver o amor, o perdão, a fé, o respeito, a tolerância, a esperança, a limpeza de caráter, a pureza, o desapego a este mundo e às coisas matérias e visíveis, valorizando primariamente e essencialmente as coisas invisíveis, as coisas espirituais que são capazes de produzir em nós a própria vida de Deus emanada aos nossos semelhantes. Essas coisas não podem ser tiradas de nós.

Podemos ver alguém desprovido de tudo o que for material, mas jamais encontraremos alguém desprovido de qualquer conhecimento e qualidades natas e aprendidas, porque essas coisas não podem ser tiradas de nós, sobretudo a fé.

Filipenses 4 versículos 8 e 9 diz: “Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai. O que também aprendestes, e recebestes, e ouvistes, e vistes em mim, ISSO FAZEI; e o Deus de paz será convosco.”

O que o Apósloto Paulo escreveu aos filipenses e a nós como filhos amados de Deus é: se há algum louvou, nisso devemos pensar, aprender e ensinar. E sobre tudo o que ouvimos “isso fazei” porque quando aprendemos realmente, de fato, mudaremos de atitude. E mudar de atitude significa prover ao mundo o maior ensino que pode existir, que é o ensino dado por Jesus, o ensino chamado: EXEMPLO.

Gilberto Horácio

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Aprendendo com um galo.

Aprendi algo que é impossível não transmitir. Você sabia que um galo nos traz lições maravilhosas? Pois é! Ele traz. Os galos cantam todas as madrugadas. Todas. Não há um dia que os galos não cantem. Todos os dias eles estão lá, em seus postos, erguendo a cabeça e cantando mais uma vez.

Há um episódio escrito na bíblia que menciona a figura do galo. É o momento em que Pedro negou a Jesus. Ao prometer fidelidade até à morte a Jesus, Pedro ouviu as Dele as seguintes palavras: "Disse-lhe Jesus: Em verdade te digo que, nesta mesma noite, antes que o galo cante, três vezes me negarás." (Mateus 26 : 34).

E assim como Jesus disse a Pedro, aconteceu; Ele negou a Jesus três vezes, e o galo cantou. "Então começou ele a praguejar e a jurar, dizendo: Não conheço esse homem. E imediatamente o galo cantou." (Mateus 26 : 74)

Jesus disse que Pedro o negaria, mas também garantiu que o galo cantaria. Sabe porquê? Porque Jesus tinha certeza que o galo estaria lá, que o galo cumpriria seu papel, o papel para o qual Deus o designou; Jesus sabia que chovendo ou fazendo sol, frio ou calor, mesmo que tivesse um terremoto, o galo estaria no seu lugar, elevando a cabeça e cantando.

O galo não se importa se há outro que cante melhor do que ele, se há outros o criticando, se outros estão dormindo, se outros não o aceitam. Ele simplesmente está lá para cumprir o mandado de Deus: cantar.

E o fantástico é saber que o canto daquele galo mudou a vida de Pedro; o estremeceu. Ele se arrependeu de ter negado Jesus e se converteu genuinamente. E Assim como o canto de um galo sinaliza o fim de uma noite e o início de um novo dia, isso também se tornou real na vida de Pedro: um novo dia raiou, um dia de total convencimento e certeza de que Deus o vê de forma pessoal, no seu íntimo e na sua individualidade.

Deus também nos vê em nossa individualidade, Ele nos conhece pelo nome e tem um propósito específico para cada um de nós. Ele quer que sejamos e aprendamos com os galos.

Que estejamos cumprindo o papel que Deus designou para nós. Não importam as dificuldades, não importa a indiferença, as críticas, se outros desistiram, se outros cansaram e abandonaram. Deus sabia que podia contar com o galo, e Ele também quer contar conosco. –“Sim digo que confio no galo, ele cantará”. Essa é a certeza de Deus. E Deus também pode contar conosco? Ele pode contar com você? Você será achado no lugar que Deus o designou? Você será achado cumprindo aquilo que Deus determinou para sua vida?

Saiba que nesta madrugada o galo cantará, e manhã, e depois de amanhã... e depois.... depois... depois... E ainda que ele volte todo machucado, com feridas e sem penas pelas lutas de sua vida, ele sempre voltará de cabeça erguida.

Gilberto Horácio

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Você é imediatista?

A palavra imediatismo significa o caráter do que é imediato. A maneira direta de proceder, sem mediações nem rodeios. O imediatismo pode ser em algumas situações decisivo e importante, como em situações em que realmente não há tempo para refletirmos sobre um determinado tema ou situação. Entretanto, o imediatismo pode levar-nos à decadência e ao fundo do poço, porque tudo no universo foge deste comportamento e deste princípio.

Se olharmos o mundo veremos que o imediatismo está longe dos planos de Deus. A começar pelas plantas, a vegetação; ao jogar uma semente na terra, hoje, não significa que teremos colheita amanhã. Será preciso regar, adubar, em alguns momentos podar, ajeitar a terra, aplicar algum medicamento contra pragas e aguardar o TEMPO de colher. Não diferentemente também acontece na gestação dos seres vivos. Há um tempo a se esperar, no caso dos seres humanos, nove meses. É preciso esperar um mês para receber o primeiro salário, é preciso esperar um ano para ter direito às primeiras férias, é preciso esperar o término do curso para receber um diploma, é preciso esperar o momento certo, ainda que já se tenha compromissos consolidados, a espera produzirá o amadurecimento necessário dos frutos, para serem colhidos plenamente desenvolvidos.

Isto ocorre especialmente com a união matrimonial; conheço vários casais que ficaram noivos alguns anos, isso porque o imediatismo foi superado, no entendimento de que é preciso constituir uma estrutura para um novo lar, e isso pode levar tempo e requerer muitos recursos. No outro extremo conheço outros casais que envolvidos pelo imediatismo colheram frutos ainda verdes, e como os frutos são completos apenas maduros, tiveram que colocar seus frutos “enrolados em um jornal” esperando que terminassem de amadurecer mesmo estando já colhidos em suas mãos.

O imediatismo condena também quem compra além do que ganha. Financiamentos que duram quase meia ou uma década completa, de coisas que poderiam esperar. Frutos ainda verdes. É por isso que Deus trabalha com o conceito e a prática de promessas. Ele não dá nada de imediato (excetuando se assim o desejar, pois Ele é soberano), mas Ele faz promessas, e nestas promessas temos que regar, adubar, cuidar, podar, com a certeza que serão cumpridas e quando chegar o momento da colheita, teremos o melhor desta terra. A Bíblia diz que “O Senhor Deus não retarda a sua promessa, ainda que muitos a tenham por tardia.” (II Pedro 3 : 9). Muitos desistem no caminho, não agüentam a espera, a abandonam a confiança nas promessas de Deus, estando já quase com a mão no que receberiam de Senhor, há apenas um quilômetro da “Terra Prometida”, e não sabiam. O Salmo 40 versículo primeiro diz: “Esperei com paciência no Senhor e Ele se inclinou para mim e ouviu o meu clamor.”

Vejamos ainda o que diz em Eclesiastes cap. 3 “TUDO tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu. Há tempo de nascer, e tempo de morrer; tempo de plantar, e tempo de arrancar o que se plantou;”

De forma que o pensamento de Deus não é imediatista, tanto que Ele criou o Universo, a Terra e a vida com seis dias. E se fosse em um dia? Ele poderia, mas Deus não é imediatista, mas com a paciência e a excelência de um pintor, Ele pintou a vida e pintou você. Portanto, sejamos como Deus e colhamos todos os nossos frutos, maduros, totalmente desenvolvidos.

Gilberto Horácio

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Aprenda o que ensina.

É possível que você já tenha ouvido alguém dizer que é preciso viver o que se ensina, mas nada retrata melhor esta verdade do que a seguinte frase: "Feliz aquele que ensina o que sabe e aprende o que ensina."

Quando ensinamos alguém estamos transferindo o conhecimento que um dia recebemos. Não importa o esforço empregado para adquirir tal habilidade ou conhecimento, o extraordinário é poder ser um facilitador do que se sabe, transferir o que sabemos. Obvio que se vivemos da educação, este ensino pode custar um valor, mas não está imposta esta obrigatoriedade. Muito mais do que esta disposição para ensinar, está a necessidade de viver o que se ensina, acreditar, ter como a mais absoluta verdade. Ensinar algo que não acreditamos formará pessoas incrédulas também. É fácil perceber quando se acredita de verdade. E na vida é fundamental acreditar naquilo que fazemos e principalmente no que julgamos digno de ensinar.

O exemplo sempre será o melhor ensino. Posso falar para alguém não pisar no jardim; posso até colocar uma placa dizendo: “Não pise no jardim!”, mas se eu for visto pisando no jardim, minhas palavras e a placa serão vazias de significado, perderam sua autoridade, sua confiabilidade de ser imitada. O Apóstolo Paulo teve tamanha autoridade notória a todos que chegou a dizer: “Sede meus imitadores como eu sou de Cristo”. Que fantástico tal autoridade. Quantos de nós podemos dizer em diversas áreas de nossa vida, especialmente no que julgamos poder ensinar, para que as pessoas nos imitem?

Se imitássemos certas autoridades seríamos levados ao absoluto engano do pecado, enganando e sendo enganados. Se imitássemos certos professores seríamos apenas vendedores de conhecimento. Se imitássemos certos pastores, padres, sacerdotes seríamos apenas hipócritas e assim em todas as esferas da sociedade. Mas e se nos imitassem? Seríamos digno de sermos imitados no que fazemos e ensinamos? Isso só você pode responder a você mesmo, assim como eu procurei a resposta dentro de mim.

Ensinar é um contínuo processo de aprendizagem. E quando aprendemos devemos aplicar isso em nossas vidas. Jesus ensinou os discípulos e viveu tudo o que ensinou. Não que Jesus tivesse a necessidade de aprender, mas sim de ensinar como se deve aprender. Ele formou homens que iriam ensinar suas palavras ao mundo, portanto, os ensinou a aprender ao ensinar e viver tudo o que estavam aprendendo. Esta deve ser nossa conduta. Ao pegar um microfone nas mãos, ao pegar um pedaço de giz frente a um quadro negro ou simplesmente mostrar uma linha escrita em um livro a alguém, temos que ter a real convicção de que aprendemos o que ensinamos e vivemos tudo o que falamos.

Gilberto Horácio

terça-feira, 10 de agosto de 2010

As pessoas são a vida.

As pessoas são a vida. Hoje fiquei observando o amanhecer, sentado em frente a uma universidade. Todas as luzes estavam apagadas e se ouvia o canto de alguns pássaros acordando para um novo dia de vôo em busca da sobrevivência. Quando deu um determinado horário, o porteiro se espreguiçou na cadeira, olhou o relógio, ajeitou o boné e se dirigiu ao portão. A passos que pareciam ter uma tonelada em cada perna, abriu os portões. Ele sabia que logo tudo estaria tomado de carros e pessoas. Em seguida o primeiro carro chegou, como que parecendo ter adivinhado que o porteiro acabara de abrir o acesso à universidade. Na sequencia, foi uma sucessão de carros chegando, como que parecendo brotar do chão. Aquelas pessoas foram entrando pouco a pouco na instituição e se espalhando pelos corredores e salas. Ao longe pude observar as luzes das salas se acendendo, o barulho de ventiladores, condicionadores de ar misturados e vozes, risos e do bater de portas.

Neste momento me veio à memória a palavra de um amigo pastor que sempre diz: “este belo prédio onde nos reunimos como igreja é apenas um belo prédio, se nós não estivemos aqui seria apenas um auditório. Nós somos a igreja, eu e você”. Esta verdade fica evidente, muito clara, quando observamos o amanhecer; seja ele em frente a uma universidade, uma igreja, uma fábrica e até uma cidade no alto de um monte. Isso configura a maravilhosa “magia” presente na vida das pessoas, no respirar, no falar, no se mover, no se relacionar, no existir dos seres humanos. Isso me faz entender o que significa a alma dentro de um corpo. A nossa alma somos nós, e nosso espírito a vida de Deus em nós. De forma que nosso corpo é apenas uma “universidade”, ou melhor, uma igreja vazia, mas quando somos preenchidos de uma alma vivente, quando recebemos o sopro da vida, somos alguém, somos uma pessoa, somos a vida. Essa que é a mais extraordinária criação de Deus. Portanto por mais difícil que seja conviver com as pessoas, se relacionar com elas, estar juntos em virtude de muitas diferenças, nada, absolutamente nada neste mundo pode se comparar com o poder, o calor e o bem que fez estar no meio das pessoas, dos seres viventes, na terra dos viventes. Afinal, Deus nos deu a vida neste século, e nele meu corpo andará e levará minha alma, meu espírito a estar perto do melhor que esta terra tem a oferecer, e o melhor que esta terra tem a oferecer pode estar bem perto de você: é só observar uma flor que você pode entender isso, ou quem sabe observando o amanhecer em frente a uma universidade.

Deus abençoe você e te de graça;

Gilberto Horácio

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Uma questão de sobrevivência.

“Viver para Deus é uma questão de sobrevivência”. Ao ouvir esta frase lembrei-me imediatamente de vários jovens que conheci na infância que foram vítimas das drogas e da violência. Em um mundo violento e de abandono no qual vivemos, Deus é a única esperança. A fé é o escudo que nos protege e a certeza de que dias melhores virão. Eu tenho a real convicção que se não tivesse tido a graça de conhecer o evangelho de Jesus Cristo, eu hoje teria grandes chances de fazer parte das estatísticas; isso porque o homem sem Deus ainda que seja uma boa pessoa, não tem o discernimento de: não errar por temor a Deus. Quando se teme a Deus e se anda com Ele, temos o temor, a reverência, o respeito de não errar, ainda que ninguém veja, mas Deus vê a tudo e conhece tudo. Alguma coisa poderia ficar oculta aos olhos de daquele que fez os céus e a terra? Certamente que não. O homem de fé, discerne tudo muito bem. E ainda que não haja nem mesmo uma testemunha para seu erro, mesmo assim não desejará errar, pelo fato de saber que está totalmente visível, como o sol do meio dia ao olhar de Deus.

Aqueles que vivem distantes de Deus, não o temem, não o amam, ainda que conheçam um pouco sobre Deus, ainda assim errarão e errarão feio. E na medida de cada erro, recebem suas respectivas punições. Para erros corriqueiros, conseqüências até pequenas, mas nisto caminham e acabam por derraparem em lamaçais que os fazem cometer erros sérios, pecados obscuros que levaram muitos à morte, pois não é possível mudar que o salário do erro, do pecado é a morte.

A criança que roubava um lápis na escola e não foi ensinada que “papai do céu” está vendo e não gosta de coisas erradas, certamente crescerá com um caráter pervertido e inclinado ao erro. Nestes casos esta pessoa estaria perdida? Com grandes chances de viver uma vida de engano, mas com a graça da possibilidade da transformação que o evangelho de Jesus e a fé podem trazer.

O amor de Cristo, seus ensinos que são um pouco da revelação do amor e da mente do Deus criador devem ser apregoados através da vida dos homens de bem; sim, daqueles que estão em Deus, com Deus e por Deus, para que outros possam escapar da morte que de tão perto nos rodeia. A todo o tempo somos ameaçados, a todo o tempo estamos em constante perigo e com uma expectação de ataques contra nossa vida pelas forças invisíveis do mal que usam homens naturais dominados pelas trevas.

Como escaparemos se não atentarmos para uma tão grande salvação oferecida e presente na pessoa do Altíssimo Deus? E é na sombra do Onipotente que devemos estar, pois lá é o lugar seguro para nos encontrarmos. E você está em Deus? Pois estar em Deus, nesta vida, neste mundo atual e nos próximos anos que se seguirão é uma questão de sobrevivência.

Gilberto Horácio

domingo, 25 de julho de 2010

Amigos? É simples assim.

Nós temos um grande amigo que é Jesus. Ainda que todos venham a nos abandonar, esse amigo permanecerá ao nosso lado, porque Ele nos ama e, as verdadeiras amizades são necessariamente constituídas de amor. Não existe maior amor do que este, de alguém dar a sua vida por seu amigo. Eu entendo o “dar a vida” não apenas morrer por alguém que se ama, mas principalmente viver por alguém que se ama. Gastar tempo com as pessoas que amamos, aplicar nossos recursos, intelecto e carinho para com as pessoas que queremos manter por perto como verdadeiras amigas.

Lembro-me que a todo tempo tenho que amar os amigos porque destes na hora da angústia nascerão verdadeiros irmãos.

Ninguém pode caminhar sozinho nesta vida, é preciso que estejamos em pelo menos dois na estrada da vida. Se um cair, o outro o levantará. É preciso ter alguém do lado, mesmo que seja apenas para dizer: esforça-te e tem bom ânimo.

Mas para termos verdadeiros amigos é preciso que sejamos verdadeiros amigos para os outros também. Há quem diga que para conhecermos quantos amigos temos, devemos dar uma festa, e para saber quais são verdadeiros somente quando ficamos doentes. É um pensamento um tanto quanto extremista mas com alguma conotação de verdade. Há pessoas que não sabem ser leais e muito menos companheiras e acabam sendo amigas superficialmente, apenas por palavra. Mas quando realmente delas precisamos não teremos o apoio prometido através das palavras.

Jesus não nos considera pessoas no meio da multidão, Ele nos considera como amigos. E os amigos são assim mesmo, compartilham a vida. E como é bom partilhar da vida de Jesus. O seu poder excede qualquer entendimento e seu amor lança fora de nossas vidas todo o medo, porque Ele é um amigo fiel.
Para ser um amigo de Jesus e desfrutar do sobrenatural de viver as experiência ao lado de alguém que não vemos fisicamente, mas que sentimos presente dia a dia conosco basta declararmos esse amor a Ele e o reconhecermos como verdadeiro amigo.

Uma amizade é relacionamento e com Cristo não é diferente. Através da oração, do louvor e das Sagradas Escrituras é possível se relacionar com Jesus. E Ele vai recebê-lo com o carinho de um amigo e o amor de um irmão.

Você pode conversar com Ele agora. Isso é fantástico, Ele pode ouvir você! E se ouve, logo cremos que Ele atenderá com alegria no que você precisar Dele, e Ele como verdadeiro amigo certamente fará com um sorriso de alguém que simplesmente vive por te amar.

Sejamos amigos sempre. Façamos amigos sempre. Amemos sem medida, não por palavras mas em verdade. E se nos tornamos verdadeiros amigos de Jesus teremos inúmeros outros amigos também. Porque, quem não quer ser amigo de quem é amigo de Jesus? Esse é o segredo, simples assim!

Gilberto Horácio