SOU EVANGÉLICO, SOU FELIZ, UMA ANÁLISE DAS PRINCIPAIS QUESTÕES DA VIDA EVANGÉLICA

Por apenas: R$ 19,99 com FRETE GRÁTIS PARA TODO O BRASIL

UM LIVRO PARA ABENÇOAR A SUA VIDA.

Veja alguns capítulos que você vai encontrar neste livro.
– Ser evangélico
- Posso ser evangélico sem frequentar a igreja?
– Qual é a roupa de um evangélico?
– Como se comportar no culto evangélico
– O perigo dos cargos
– Como entender os desentendimentos dentro da igreja?
– Seu relacionamento com os demais membros
– Quanto, em dinheiro, entregarei na igreja?
– Quando o sofrimento bate à porta de um evangélico
– Entendendo por que nem todos são curados
– Evangélicos divorciados
– Ouvindo músicas não evangélicas
– Bebida alcoólica no copo de um crente?
– Nem todos falam línguas estranhas?!
– Evangélicos certos de vidas erradas
– Igreja pequena ou igreja grande?
– Excluindo membros - um mal necessário?
– Amigos e relacionamentos apenas com evangélicos?
– O que nos une é maior do que o que nos separa
– O evangélico e a morte – O que importa é ser salvo, ser você e ser feliz dentre outros capítulos.
Comprando este livro você estará abençoando e sendo abençoado. Há algo especial de Deus nele para você.
Um livro que fala de fé e de esperança.

Peça já o seu exemplar!

À VENDA NOS SEGUINTES LOCAIS:


* LIVRARIA DA IGREJA DE NOVA VIDA DE DUQUE DE CAXIAS.
Av. Presidente Tancredo Neves, 687 – Vila Itamaraty(Itatiaia) – D. de Caxias Tel./fax: (21) 3658-3200 E-mail: igreja@novavidacaxias.com.br


* Livrarias Celebrai do Shopping Center de Caxias. Rua Mariano Sendra dos Santos, SN - Duque de Caxias - RJ Quadra 4 - Loja 10 | Cel.: (21) 9346-7347 - Tel.:(21) 2671-6073

* LIVRARIA ITATIAIA NO UNIGRANRIO SHOPPING CAXIAS.
Rua Prof. José de Souza Herdy 1216. 25 de Agosto - Duque de Caxias. Tel. (21) 2671-2808


* EDITORA CONSELHO. Av. Eunice Gondin, 160, sala 206, Recreio dos Bandeirantes, RJ Tel. 3326-3844


COMPRE AGORA E RECEBA O LIVRO EM SUA CASA COM A SEGURANÇA DO pagseguro

Por apenas: R$ 19,99

Frete GRÁTIS para todo o Brasil

Através do pagSeguro você compra parcelado através dos principais cartões de crédito.
Compre também por telefone:(21) 99697-4191 e peça seu exemplar. Você vai recebê-lo na comodidade da sua casa, com total segurança e a credibilidade dos correios. Você pode comprar também por depósito bancário: Deposite o valor de R$ 19,99 na seguinte conta: Banco Santander: Agência: 4618 Conta Corrente: 01001027-8 Envie-nos e-mail constando a a data e a hora o depósito, seguido de seu endereço completo, com CEP e telefone para contato.

Você receberá em sua casa o livro SOU EVANGÉLICO, SOU FELIZ. Uma análise das principais questões da vida evangélica.

Você vai entender muito do que acorre dentro de uma igreja evangélica no Brasil. Vai ter a fé despertada, o amor a Cristo, à igreja e a você mesmo racionalizados e fortalecidos de forma simples mas, direta.

Não perca mais tempo! Investir em conhecimento é investir em você. Peça agora e seja muito abençoado pelo que vai ler e aprender.
UM LIVRO QUE TRATA DE FORMA PRÁTICA QUESTÕES VIVIDAS DENTRO DA IGREJA EVANGÉLICA.

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

A felicidade não existe?


Às portas de um novo ano vejo as pessoas fazerem planos de mudanças e promessas, renovando a esperança de dias melhores. Muitos se deixam levar por superstições e mandingas, buscando com isso terem suas expectativas alcançadas, quando deveriam promover mudanças na mente e nas ações em todos os dias do ano. A felicidade é o que todo mundo quer, e que a maioria diz que tem, quando na verdade esta felicidade como a desejamos simplesmente não existe.
Se olharmos ao nosso redor as angústias e terrores vividos diariamente pelas pessoas, independentemente da raça, cor, idade, nível cultural ou intelectual e até religioso vamos perceber isto.

Na Bíblia Sagrada vemos também muito sofrimento, angústias, lutas, guerras e tristezas vividas por seres humanos como nós. Entretanto, podemos ver na Bíblia como estas pessoas superaram suas dificuldades, tribulações, angustias e desastres através da fé em Deus.
Jesus falou sobre felicidade no conhecido Sermão da Montanha registrado em Mateus Capítulo 5
Veja o que é ser feliz na definição dada pelo Senhor Jesus:

Felizes os pobres no espírito, porque deles é o Reino dos Céus;
Felizes os mansos porque herdarão a terra;
Felizes os que choram porque serão consolados;
Felizes os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados;
Felizes os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia;
Felizes os puros de coração, porque verão a Deus;
Felizes os que promovem a paz, porque serão chamados Filhos de Deus;
Felizes os que são perseguidos por causa da justiça, porque deles é o Reino dos Céus

Analise que pelos parâmetros que atualmente temos buscado para esse novo ano, os parâmetros atuais de vida feliz da humanidade, nós não seremos felizes jamais, porque esta felicidade que buscamos simplesmente não existe. Na verdade, nas pequenas coisas a felicidade é maior do que quando se almeja muitas e grandes coisas e não se consegue alcançá-las. A felicidade não está em um casamento ou no divórcio; não está em um filho ou em um emprego; não está na viagem sonhada ou no carro novo adquirido. A felicidade não está no novo endereço para uma área mais nobre da cidade, nem nos melhores restaurantes ou nas melhores roupas. A felicidade não está na qualitatividade de amigos ou na formação acadêmica, pois isto não é felicidade. Por que? Porque pessoas infelizes possuem todas estas coisas e experimentaram em suas vidas todas estas metamorfoses na busca de serem felizes sem êxito nesta busca.

O que diríamos dos acontecimentos relacionados a Adão, Caim, Sansão, Abraão, Moisés, Davi, Josué, Gideão, João Batista, Pedro, Paulo, e até na vida de Jesus? Muitos sofrimentos, lágrimas, dores, decepções, traições e recomeços.  A felicidade é algo muito mais simples e profundo do que a vida moderna tenta nos vender.

Na felicidade verdadeira ensinada por Jesus a gente perde tudo, mas não perde a felicidade. É esta felicidade que devemos buscar ter no mais profundo de nossas consciências e em nossa alma. É preciso ser sensível à vida para ser feliz e ter um verdadeiro estado de controle de si mesmo, amando verdadeiramente e permitindo que este amor seja fluído em misericórdia para com os outros, em justiça, pureza, pacificação e pobreza de espírito que é uma alma humilde, ensinável, ponderada e perseguida por fazer o que é correto. Sejamos corretos! Sejamos puros! Sejamos justos! Sejamos Humildes! Choremos, para sermos curados! Sejamos limpos! Seremos perseguidos!

A Bíblia nunca escondeu o sofrimento daqueles que em suas páginas tem suas vidas transcritas, e por isto não podemos nos deixar enganar com uma falsa visão "Hollywoodiana" da felicidade. 

Jesus apresentou o que é ser feliz. Ao segui-lo seremos absolutamente felizes.

Que sejamos felizes na felicidade verdadeira, que é aquela ensinada por Jesus.

Gilberto Horácio.

domingo, 24 de novembro de 2013

O evangelho e aqueles que atiram a primeira pedra.


Temos visto com frequência, em alguns países, o apedrejamento de pessoas, especialmente mulheres. No Irã, por exemplo, um dos países que mais mata, temos o caso de Sakineh Mohammadi, 43 anos, mãe de dois filhos que acabou sendo julgada, recebendo a condenação, por adultério. Ela foi sentenciada à morte por apedrejamento.  A organização internacional de defesa dos direitos humanos e até o Brasil se mobilizaram, mas as mortes assim continuam acontecendo.

Não foi Maomé quem inventou o apedrejamento como castigo, especialmente o apedrejamento de adúlteros. Mas foi ele quem forçou uma volta a esta prática, depois dela ter sido abolida oito séculos antes por Jesus, como descrito no Evangelho de João, capítulo 8, e até mesmo abandonada pelos judeus. Por causa de Maomé, a prática do apedrejamento como punição tem sido propagada até os tempos atuais.

Diante de tal situação, podemos pensar na urgência e na importância do evangelho de Jesus ser conhecido de todos os homens da face da terra. O evangelho está acima de qualquer lei ou pensamento humano, pois o evangelho colocou o amor e o perdão acima de qualquer fato.

Os homens que apedrejam, são os mesmos adúlteros de mãos sujas, que Jesus trouxe à claridade da luz.

Veja como matam pela ignorância de suas mentes obscuras não evangelizadas.




"Jesus, porém, foi para o monte das Oliveiras.
Ao amanhecer ele apareceu novamente no templo, onde todo o povo se reuniu ao seu redor, e ele se assentou para ensiná-lo.
Os mestres da lei e os fariseus trouxeram-lhe uma mulher surpreendida em adultério. Fizeram-na ficar em pé diante de todos
e disseram a Jesus: "Mestre, esta mulher foi surpreendida em ato de adultério.
Na Lei, Moisés nos ordena apedrejar tais mulheres. E o senhor, que diz?"
Eles estavam usando essa pergunta como armadilha, a fim de terem uma base para acusá-lo.
Mas Jesus inclinou-se e começou a escrever no chão com o dedo.
Visto que continuavam a interrogá-lo, ele se levantou e lhes disse: "Se algum de vocês estiver sem pecado, seja o primeiro a atirar pedra nela".
Inclinou-se novamente e continuou escrevendo no chão.
Os que o ouviram foram saindo, um de cada vez, começando pelos mais velhos. Jesus ficou só, com a mulher em pé diante dele.
Então Jesus pôs-se em pé e perguntou-lhe: "Mulher, onde estão eles? Ninguém a condenou?"
"Ninguém, Senhor", disse ela.
Declarou Jesus: "Eu também não a condeno. Agora vá e abandone sua vida de pecado".


Jesus sabia que entre as pessoas que condenam, entre as pessoas com as mãos cheias de pedras estavam adúlteros, ladrões, traidores, estelionatários, mentirosos e até assassinos. Pessoas com falsa aparência e pecadoras como qualquer outra. Jesus sentiu a dor da injustiça no mais profundo de seu coração ao ver uma mulher prestes a ser apedrejada por um pecado como de qualquer outro que ali estava.
É a mesma dor que sentimos hoje ao ver pessoas sendo apedrejadas por erros impensados cometidos e sendo punidas por aqueles que possuem tais práticas ou práticas ainda pior.

Ah, se o evangelho de Jesus chegasse ao Iranianos! Ah, se o evangelho de Jesus constrangesse cada coração no mundo! Os apedrejadores lembrariam de seus pecados e se submeteriam à vergonha de não se acharem dígnos de matar, visto que seriam merecedores também de igual condenação. "Quem não tem pecado, atire a primeira pedra", disse Jesus.   E cada um, foi saindo pois todos estavam mais sujos que aquela pobre mulher que seria condenada.

Jesus não foi conivente com o pecado e nem tolerante a ele. Muito pelo contrário, ele disse à mulher: "Vai e tão somente, não peque mais".

Que a Bíblia seja difundida em todas as línguas e povos, que missionários sejam espalhados pelos quatro cantos do planeta, e que sejamos suporte constante das igrejas onde congregamos para que continuem sendo agências propagadores dos ensinos de Jesus. Que sejamos portadores destas boas novas que seguem dentro de nós aonde quer que formos, para que em sendo o evangelho conhecido, também O seja, O Cristo ressuscitado que está entre nós, para que Ele transforme o coração e a mente de todos os homens, estando entre eles também. Assim, não veremos atrocidades cometidas hoje, já corrigidas e banidas pelo evangelho de Jesus há mais de dois mil anos atrás.

Gilberto Horácio


domingo, 6 de outubro de 2013

Desvie-se das lanças.

Como é difícil viver. Cada dia é uma verdadeira luta pela sobrevivência.  Como Jesus afirmou, que no mundo teríamos muitas aflições, são muitas aflições mesmo.  "Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo." (João 16.33)

Tantas pessoas sendo destruídas pelas drogas, tantas pessoas doentes e sem esperança. Pessoas atingidas pelas lanças, os dardos dos inimigos. E nós que hoje estamos de pé, temos que lutar guerra diária para permanecermos vivos. "Aquele, pois, que cuida estar em pé, olhe não caia." (I Coríntios 10.12)

Tantas tragédias, crimes, horrores que no assustam a todo o tempo. Em todos os lugares o ódio parece se multiplicar. Pessoas buscando aproximação de outras pessoas querendo tão somente tirar algum tipo de vantagem; e o mais terrível é que "por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos se esfria" (Mateus 24.12)
Graças a Deus que podemos tomar sobretudo o escudo da fé, com o qual poderemos apagar todos os dardos inflamados do maligno. (Efésios 6.16)
Este maligno afirmo ser: seres espirituais, mas também pessoas más e perigosas que jamais conheceram a Deus. Criminosos e pessoas acima de qualquer suspeita. Pessoas que governam sobre nós, pessoas sem Deus, com poder e dinheiro nas mãos, e nós, muitas vezes sofrendo a fuga no deserto.
 

O grande Rei Davi passou por isto. O Rei de Israel, era Saul, homem mau e distante da vontade de Deus, porém era quem estava no trono. Do outro lado Davi, homem que a Bíblia chama de "homem segundo o coração de Deus" era um fugitivo para manter-se vivo. Por inveja e ódio obstinado, Saul tentou várias vezes matar Davi. O que Davi poderia fazer, já que era um homem do bem, um homem segundo o coração de Deus? Ele apenas desviava-se das lanças. "E Saul atirou com a lança, dizendo: Encravarei a Davi na parede. Porém Davi se desviou dele por duas vezes." (I Samuel 18.11)
 

É preciso se preparar para os ataques diários e se desviar das lanças. Não há uma razão para sua vida estar em risco. Ela simplesmente está. Não há razão para que eu e você sejamos alvos ou uma espécie de fugitivos.
"E Davi levantou-se, e fugiu aquele dia de diante de Saul (I Samuel 21.10a) Quem está no comando, no trono, muitas vezes está longe de Deus. Nós que somos nascidos de novo para vivermos para Deus, alvos constantes de lanças que tentam nos cravar na parede. Há certas coisas que não endentemos hoje; apenas o tempo e o futuro nos revelará. O que temos a fazer? Escapar. Desviar para a esquerda, para a direita, abaixar por vezes. Ainda que as lanças passem deixando seu vento bem próximo de nosso coração, jamais nos atingirão.
 

"Eis que vos envio como ovelhas ao meio de lobos; portanto, sede prudentes como as serpentes e inofensivos como as pombas." Jesus. (Mateus 10.16)
Minha parede cheia de lanças, mas o meu coração guardado em Deus.
Até que possamos finalmente dizer: "Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé." (II Timóteo 4.7)

Gilberto Horácio

sábado, 14 de setembro de 2013

A guerra contra os demônios. Você pode ver?


Meu amigo e minha amiga, você vê o vento? Obviamente que não. Apenas podemos senti-lo. Da mesma maneira, não podemos ver os seres espirituais; são invisíveis, assim como o vento. Demônios trabalham para a nossa destruição, tentam nos matar. Estes seres são descritos em várias passagens da Bíblia, especialmente nos Evangelhos. Jesus os via e podia expulsa-los.

Estão muito mais perto de nós do que podemos imaginar. Estamos em uma guerra. Sozinhos temos uma grande desvantagem: não poder vê-los. E para muitos é preciso crer para ver. Pelo fato de não poderem ver, simplesmente não creem. “Disse-lhe Jesus: Porque me viste, Tomé, creste; bem-aventurados os que não viram e creram.” (João 20. 29)

Para não sermos destruídos ou não sofrermos tanto;. para não vivermos acorrentados a sentimentos ou loucuras; para não sermos atormentados por demônios, precisamos de ajuda também espiritual: precisamos da ajuda de Jesus. Não podemos vencê-los sozinhos, não os vemos. Precisamos da ajuda de Jesus, que vê o invisível, pois vê o que não podemos ver, e o livramento ocorre no próprio mundo espiritual sem ser evidenciado no mundo físico. Isso não é poesia ou fábula, creiamos ou não, isso é a mais absoluta verdade.

Pessoas são usadas por demônios para exteriorizar e materializar ações no mundo físico e nos atingir. Por isso, tantas pessoas cometam coisas terríveis que jamais fariam, se não tivessem sido usadas por estes seres espirituais.
“Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar; Ao qual resisti firmes na fé, sabendo que as mesmas aflições se cumprem entre os vossos irmãos no mundo.” (I Pedro 5. 8,9)

Não fique preso a demônios. Liberte-se deles por meio de sua fé em Jesus. Ore e eles fugirão de você. Certamente voltarão a tentar contra sua vida. Lembre-se que estamos em guerra. Não desista. Volte à peleja, à oração, e pelo poder do nome de Jesus Cristo eles se manterão sem poder atormentá-lo.
Conte com a ajuda de Jesus, pois apenas Ele poderá livrar-nos. Como um cego lutará em uma guerra? Assim somos nós no mundo espiritual. Somos cegos nesta guerra. Apenas o General do generais pode nos ajudar: Jesus, ao qual se sujeitam todos os seres que existem.

"Para que que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra, (Filipenses 2.10)

Disse Jesus: “Curai os enfermos, limpai os leprosos, ressuscitai os mortos, expulsai os demônios; de graça recebestes, de graça dai.” (Mateus 10. 8)

Lembre-se que esta luta é diária. Entretanto, venceremos todas, por meio da interseção e socorro de Jesus. Assim viveremos em paz.

Eis a arma: a sua fé.

“O SENHOR é a minha luz e a minha salvação; a quem temerei? O SENHOR é a força da minha vida; de quem me recearei?Quando os malvados, meus adversários e meus inimigos, se chegaram contra mim, para comerem as minhas carnes, tropeçaram e caíram.  Ainda que um exército me cercasse, o meu coração não temeria; ainda que a guerra se levantasse contra mim, nisto confiaria. Uma coisa pedi ao SENHOR, e a buscarei: que possa morar na casa do SENHOR todos os dias da minha vida, para contemplar a formosura do SENHOR, e inquirir no seu templo. Porque no dia da adversidade me esconderá no seu pavilhão; no oculto do seu tabernáculo me esconderá; pôr-me-á sobre uma rocha. Também agora a minha cabeça será exaltada sobre os meus inimigos que estão em redor de mim; por isso oferecerei sacrifício de júbilo no seu tabernáculo; cantarei, sim, cantarei louvores ao SENHOR.” (Salmo 27.1-6)

Se precisar de ajuda procure uma igreja, converse com um pastor que vai lhe orientar como ter uma vida devocional de oração e aprendizado da Palavra de Deus, que é a Bíblia Sagrada, a qual o próprio Jesus utilizou para expulsar a Satanás.

"ENTÃO foi conduzido Jesus pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo diabo.
E, tendo jejuado quarenta dias e quarenta noites, depois teve fome;
E, chegando-se a ele o tentador, disse: Se tu és o Filho de Deus, manda que estas pedras se tornem em pães.
Ele, porém, respondendo, disse: Está escrito: Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus.
Então o diabo o transportou à cidade santa, e colocou-o sobre o pináculo do templo,
E disse-lhe: Se tu és o Filho de Deus, lança-te de aqui abaixo; porque está escrito: Que aos seus anjos dará ordens a teu respeito, E tomar-te-ão nas mãos, Para que nunca tropeces em alguma pedra.
Disse-lhe Jesus: Também está escrito: Não tentarás o Senhor teu Deus.
Novamente o transportou o diabo a um monte muito alto; e mostrou-lhe todos os reinos do mundo, e a glória deles. E disse-lhe: Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares.
Então disse-lhe Jesus: Vai-te, Satanás, porque está escrito: Ao Senhor teu Deus adorarás, e só a ele servirás.
Então o diabo o deixou; e, eis que chegaram os anjos, e o serviam.(Mateus 4 1-12)


Se você se sente atormentado e sem paz. “Para isto o Filho de Deus se manifestou: para desfazer as obras do diabo. (I João 3.8b)
Se você tem tido mudanças em sua mente e em seus pensamentos contrários ao que ensina a Palavra de Deus, contrários aos valores da família e da igreja e aos seus próprios valores, os quais você sempre defendeu e agora sente inclinação à maldição da ilusão, você pode sim estar sendo atormentado por demônios. 
Use sua fé, através da oração, da Palavra de Deus, você será livre e poderá discernir com sua própria razão. Perceberá que precisa da ajuda espiritual de Jesus. Ele te libertará diariamente e te protegerá, dando paz e refrigério para a alma.

Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres. (João 8.36)


Gilberto Horácio 

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Servir a Deus e aos outros. É isto o que Cristo Jesus, nos ensinou.

O Evangelho de Marcos no capítulo 10 versículo 45 diz: “Pois o próprio Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos.”

Viver de modo altruísta é uma arte e baseados nesta arte deve ser o nosso serviço cristão. Se Jesus veio para servir e se dar, logo tem lógica afirmarmos que ele deseja o mesmo de nós. Deus está, neste caso, empenhado em formar no seu povo a mesma disposição de servir e dar, que caracterizava o seu Filho Jesus. Por este pensamento nada é mais alentador do que ter um coração de servo e um espírito dadivoso, principalmente quando o vemos numa pessoa que muitos considerariam uma celebridade.

Na igreja deve haver apenas uma categoria: servos. Porém, mesmo em nossa atividade cristã, ocorre de muitos se deixarem envolver nessa corrida para o sucesso e para posições melhores, e assim perdem de vista nossa condição básica de seguidores de Cristo, e querem ser cabeças, quando só existe uma cabeça, Jesus Cristo que é Senhor do corpo. Nenhum ser humano pode ter a ousadia de ocupar essa posição.

Obviamente há a necessidade de haver liderança na igreja, para que a obra seja realizada.  Mas, há de ser uma liderança com espírito de servir a todos. A idéia é que não interessa muito que tipo de governo eclesiástico a igreja tem, desde que todos os que se acham envolvidos no ministério (sejam eles líderes ou não) se vejam como pessoas que servem, que dão. Estes servos devem ser humildades e sinceros. Assim, precisamos reconhecer nossa condição de ser humano falível. Quando as pessoas seguem líderes que têm coração de servo, o exaltado é Deus. Esses homens falam da pessoa de Deus, de seu poder, de sua obra, de seu nome, de sua palavra. Tudo para a glória de Deus. Um verdadeiro servo está atento aos problemas que os outros estão enfrentando.Infelizmente muitas pessoas querem alcançar os primeiros lugares.

Jesus Cristo não apenas incentivou boas atitudes, mas deu o exemplo. O apóstolo Paulo teve esta percepção ao escrever:  “Nada façais por contenda ou por vanglória, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si mesmo. Não atente cada um para o que é propriamente seu, mas cada qual também para o que é dos outros. De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus.” (Fl 2:3-5)

Em suma, o que ele disse foi que devemos servir e dar de nós mesmos. Nessas palavras, ele faz a defesa de uma vida altruísta. É preciso uma atitude de dar, e não de receber. A verdadeira humildade não deve ser confundida com ausência de auto-estima. Os sentimentos de inferioridade não são compatíveis com pessoas felizes que servem por amor.

O verdadeiro servo em vez de estar sempre lembrando daquilo que fez, ou das pessoas a quem auxiliou, tem prazer em esquecer os feitos, e em passar praticamente desapercebidos. O desejo de reconhecimento público não é importante. Quando se quer pôr em prática a arte de ajudar, o servo sempre permanecer anônimo. Aliás, a maioria destas pessoas, e que possuem um coração de servo, ficam profundamente constrangidas, quando são alvo de publicidade, diferente de muitos que hoje vemos que fazem questão de exibirem os seu feitos evangelísticos e trabalhos na igreja, tudo deve ser fotografado para que os outros vejam o que estou fazendo, e fazendo bem e fazendo com um aparente sorriso no rosto, quando desta forma perdem a essência de um verdadeiro coração de servo.

É muito fácil falar, mas ser realmente uma pessoa que se dá aos outros de forma desinteressada e genuína exige um coração de servo é realmente é difícil mesmo. Dar-se a si mesmo ao Senhor e aos outros não é simplesmente fazer uma declaração verbal nesse sentido. Seguir a Cristo como discípulo dele é uma decisão custosa e de autonegação. Essa decisão de dar de nós mesmos a outros (tomar a cruz) deve ser encarada diariamente.

Temos que ter a vida liberta dos moldes do mundo que ensina buscar apenas os próprios interesses. Temos quer servir a Deus, assim como as outras pessoas, sem interesses. Muitos acham que se servirem pessoas isto fará com que se sintam humilhadas. Servir pessoas, principalmente àquelas que não podem retribuir, não garante benefícios nem glórias – a não ser de Deus. Cristo deixou-nos o exemplo para que sirvamos a Deus e às pessoas de forma sincera, de verdadeiro coração. O conceito de servir deve ser a base de tudo o que o cristão faz assim como Cristo Jesus, fez.

Gilberto Horácio

quinta-feira, 27 de junho de 2013

Qual a sua filosofia de vida religiosa?



Entendo que a filosofia de vida deve pautar-se primordialmente pela filosofia de vida de Jesus, a qual exige que este modo de viver seja coerente com o que se acredita e se ensina. Como religiosos temos que ser agentes de transformação, com a missão de cuidar de outras vidas tornando-as capazes de cuidar de outras da mesma forma, ou seja, esta é a idéia de discipulado.

Nossos sonhos de felicidade como seres humans comuns que somos devem estar acíma da posição, função ou cargo que ocupamos. Esta filosofia de vida deve ser: fundamentalmente estar feliz. Se não estivermos felizes, é obrigatoriamente necessário mudar, pois só conseguiremos fazer os outros felizes se estivermos felizes também.

A filosofia de vida deve estar alinhada com os grupos que participamos e em nada pode destoar, caso contrário, certamente haverá falsidade, mentira e hipocrisia. Não é possível viver em grupos que apoiem o que eu condeno, e condenam o que eu apoio. É preciso sintonia.

Ter a Bíblia como única regra de fé e prática. Jamais se vender ou se humilhar por cargos, posições ou dinheiro em qualquer seguimento social.

Se algum dia for necessário vender-se para manter-se em certa posição ou até mesmo para galgar outras posições, isto deve causar um sentimento de nojo por si mesmo. Não é dígno humilhar-se por interesses.

A filosofia de vida religiosa deve ser viver bem e feliz; fazer feliz o próximo. A vida é feita de acollhimentos. É importante não nos tornarmos legalistas, mas sermos justos, primando sempre pela verdade e pela humildade, pois Jesus tinha esta filosofia, os apóstolos também e tantos outros que desejaram viver piamente em Cristo.

Seguir a filosofia de viver para Deus, para o próximo, aprendendo diariamente a contar os dias de maneira sábia e não aplicar a vida em projetos e planos da terrível maldição da ilusão. Finalmente, devemos nos distanciar, cada vez mais, da profissionalização dos relacionamentos e se aproximar continuamente em direção da simplicidade, da caridade e das pessoas mais humildes, no sentido real da palavra.

Gilberto Horácio

sexta-feira, 14 de junho de 2013

Para onde esse vento vai nos levar?


Pedro Álvares Cabral tem a fama de ter descoberto o Brasil. Entretanto, ele estava a caminho da Índia onde havia coisas muito mais interessantes aos seus olhos, que eram especiarias negociadas na Europa com grande valor.

Pedro não tinha nenhuma intenção de chegar ao Brasil. Mas, a sua trajetória foi mudada e o curso de sua vida também, poque ventos sopraram e fizeram a mudança  definitiva de sua história.

Em nossas vidas também sopram tais ventos e o que havíamos planejado inicialmente nem sempre acontece.  Isso é muito difícil de ser aceito, mas aqueles que isso entendem vivem em mais serena paz. 

Estamos, sem dúvidas, em um oceano a velejar todos os dias, rumo a nossos sonhos e objetivos; São muitas as tempestades e muitos dias de escuridão. Obviamente, há tempos de brisa e frescor, tranquilidade de águas silenciosas, mas os ventos, eles certamente soprarão, independentemente de nossa vontade e nos levarão para nosso destino almejado ou, quem sabe, para bem longe dele.

Alguém disse que para quem não sabe para onde vai qualquer destino serve, mas para quem sabe para onde está velejando entenderá perfeitamente quando os ventos sopraram contrários, e igualmente saberá que o destino conduzido pelo mistério dos ventos da vida,  são respondidos com uma só frase: "porque é assim que tinha que ser".

"Agora vós, que dizeis: Hoje, ou amanhã, iremos a tal cidade, e lá passaremos um ano, e contrataremos, e ganharemos;
Digo-vos que não sabeis o que acontecerá amanhã. Porque, que é a vossa vida? É um vapor que aparece por um pouco, e depois se desvanece.

Em lugar do que devíeis dizer: Se o Senhor quiser, e se vivermos, faremos isto ou aquilo. Tiago 4.13,14 e 15


Gilberto Horácio

segunda-feira, 20 de maio de 2013

Na palma de minha mão.


Quando chegamos a certa altura da vida e olhamos para trás, temos muitas coisas para lembrarmos e especialmente nos vem à memória muitas coisas que não deveríamos ter feito. Porém, percebo que passamos a saber exatamente o que deve ser feito. 

Reler nossa própria trajetória deve ser uma atitude diária. Não se envolver tanto em questões que não produzam resultados significativos o bastante que justifiquem gastar o tempo que me resta.
Entender que não querer mais tanto bens como já quis um dia não é mais desconforto diante das pessoas. Aliás, pode até ser que os bens que me pertençam sejam os que caibam na palma de minha mão.

A cada dia vamos vivendo mais um dia que se torna em menos um.
A casa parece ser mais atraente, as simples atividades mais significativas e as disputas cada vez mais desinteressantes.

Buscamos, na verdade, construir alguém que somos, e quando edificados, parece ser melhor quem fomos.

Então, ao findar da lida terrenal, na esperança da vida eterna, da promessa de Jesus:  "Vou preparar-vos lugar" (João 14.2) descansamos, podendo de forma serena, porém jubilosa, dizer:

"Bye bye Planeta Terra!!"

Gilberto Horácio

domingo, 12 de maio de 2013

Pelas frestas das grades das cadeias da vida.


Algumas cartas do Apóstolo Paulo foram escritas na prisão: Efésios, Filipenses, Colossenses e Filemon. Isto evidencia que cadeias ou qualquer outra limitação ou adversidade não podem impedir alguém que esteja convicto em sua fé, em seu chamado e em sua missão. Nada pode impedir aquele que crê. Por isso Jesus mesmo disse que tudo é possível ao que crê. "E Jesus disse-lhe: Se tu podes crer, tudo é possível ao que crê." (Marcos 9.23).

Fico imaginando as cartas do Apóstolo Paulo, talvez, pelas grades de uma janela sendo enviadas às igrejas. Muitas delas se perderam; Em 1 Coríntios 5.9, por exemplo, se fala de uma Primeira Carta aos Coríntios. Em Colossenses 4.16, Paulo se refere a uma Carta escrita aos cristãos de Laodicéia. E temos ainda a famosa “Cartas em lágrimas” aos Coríntios (2 Cor 2.4). Alguns estudiosos afirmam também que a Carta aos Filipenses é um conjunto de vários bilhetes. E ainda que a 2 carta aos Coríntios é um ajuntamento de várias cartas, enviadas em datas diferentes.

Mas, aquelas que foram preservadas, tenho certeza, por uma ação divida, percorreram o mundo e os séculos e estão hoje em nossas mãos, na Bíblia Sagrada.

Nada pode limitar-nos, irmãos. Nada pode impedir-nos de nossos objetivos e metas. Ainda que hoje possam vir sobre nós tentações, provações, angústias, tristezas, separações, ou até mesmo prisões, temos que ter a convicção que ainda que seja pelas frestas das grades de uma limitação ou aprisionamento enviaremos nossas cartas de amor ao mundo.

O evangelho de Jesus Cristo é a mensagem que o mundo precisa ler. Que Jesus Cristo veio ao mundo salvar a todos os pecadores, do qual eu mesmo sou o principal; que Jesus é o Filho unigênito de Deus, que nos ama, está vivo e foi preparar-nos lugar, para que onde Ele estiver, estejamos nós também.

"Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada? Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir,
Nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor." (Romanos 8.35)

Gilberto Horácio

sexta-feira, 22 de março de 2013

Mantenha o traçado para não sair da pista.



A disputa automobilística mais famosa e cara do mundo, a Fórmula 1 executa suas temporadas em pistas que possuem traçados bem variados, com muitas curvas, e chicanes, em circuitos mistos. Não há nenhum circuito oval na F-1. Entretanto, cada pista possui o seu traçado específico; aquele piloto que o conhece bem e o respeita, terá bom êxito em sua trajetória,  maiores chances de chegar ao pódio e levantar a taça da vitória.

Em nossa vida também estamos, pelas incompreensíveis circunstâncias da existência, ou pela fé, podemos dizer, pelos propósitos de Deus para nossa história em particular, visto que Ele trata cada ser de forma individualizada, inseridos em uma pista semelhante à Fórmula 1. Estamos em constante corrida, temos pessoas ao nosso lado também correndo, buscando a mesma vitória, porém, com ambições e propósitos diferenciados. Temos uma equipe de auxilio que são nossos familiares e amigos. Quando precisamos de um pit stop (parada técnica) são eles quem nos socorrem.

É importante perceber que ainda que tenhamos um carro excelente (nosso corpo) e uma equipe maravilhosa ao nosso lado, se nós mesmos, individualmente, em nosso carro não fizermos o traçado correto e sem margens para erros, não chegaremos à vitória.

Depende de nós dirigirmos, depende de nós mantermos o traçado. Ocorrerão dias de corrida de muita chuva e será preciso perder algumas posições na corrida para pararmos nos boxes e colocarmos pneus específicos para corridas na chuva, e isso podemos decidir com a ajuda de nossa equipe. Mas, manter o traçado, na chuva ou em pista seca depende exclusivamente do piloto, ou seja: depende de você e de mim.

Não saia do traçado de sua vida. Não faça experimentos perigosos e tentadores fora do seu traçado, pois você corre o risco de não completar a corrida e parar fora das pistas, e queira Deus que seja vivo.
Mantenha o foco. Mantenha o que Deus tem direcionado para ser sua história de vida, e não tente seguir o traçado de ninguém, apenas mantenha as mãos firmes em seu traçado e acelere até a vitória.

"Não sabeis vós que os que correm no estádio, todos, na verdade, correm, mas um só leva o prêmio? Correi de tal maneira que o alcanceis."  (I Coríntios 9.24)
 
Gilberto Horácio

sábado, 16 de fevereiro de 2013

A diferença entre aquele que crê e aquele que não crê.



Uma pesquisa feita nos Estados Unidos com 21 mil pessoas que frequentam cultos religiosos e as que não frequentam entre 1987 e 1995 constatou existir uma diferença de 7 anos entre estes grupos. Aqueles que frequentam cultos religiosos vivem 7 anos a mais que aqueles que não possuem prática religiosa.

Após cirurgias cardíacas, a probabilidade de sobrevivência das pessoas religiosas é três vezes maior daquelas que não são, de acordo como a Faculdade de Medicina de Dartmouth, nos Estados Unidos.

Pesquisa da Duke University, EUA, observou em pesquisa realizada com 400 homens que consideravam a religião importante, e frequentavam à igreja que eles possuem uma blindagem contra a pressão alta. Já com os idosos, foram 4 mil avaliados e os que frequentavam locais de devoção tinham taxas muito menores de depressão e ansiedade.

Um bem estar geral também foi constatado com idosos religiosos, de acordo com uma pesquisa realizada pelo epidemiologista Jeff Levin, que tratou do assunto Deus, fé e saúde.

Veja o que diz Malaquias 3.10b:  “e vereis a diferença entre o que serve a Deus, e o que não o serve.” É possível observar o quanto a fé é importante na vida de um ser humano. Estas são simples demonstrações feitas por pesquisadores que evidenciam de forma muito mínima, o que a maioria das pessoas tem percebido, em todo o mundo: A importância de viver a fé  e a busca de Deus.

Por que, então, abrir mão destes benefícios? Jamais abandone sua fé. Jamais abandone sua comunidade, sua igreja e sua família. Jamais abandone suas orações e sua Bíblia Sagrada. Ela será o bálsamo para curar sua dor e será sua luz ao mostrar o caminho a seguir em qualquer situação que sobrevier. Seja de lutas ou alegrias.

Esta é a visão daquele que tem fé, a mesma narrada pelo Apóstolo Paulo em II Coríntios 4, versículo 9: “Perseguidos, mas não desamparados; abatidos, mas não destruídos”

Vá em frente meu irmão, ore, Deus o ouvirá, leia a Bíblia, você ouvirá a voz de Deus e busque a Deus no Templo, Ele te mostrará o caminho a seguir e colherá as bênçãos de estar próximo daqueles que estão próximos de Deus.

Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé. (II Timóteo 4.7)

Gilberto Horácio

quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Seu direito ao que for justo.



Vou começar esta nossa conversa com as palavras de um famoso jurista, o Dr. Eduardo Juan Couture, falecido desde 1956. Dizia ele: "Teu dever é lutar pelo Direito, mas se um dia encontrares o Direito em conflito com a Justiça, luta pela Justiça”

Um direito conflitante com a própria justiça. Parece estranho à primeira vista mas, absorvendo o sentido da mensagem há um profundo significado que permite uma abrangência de construções filosóficas e práticas.

O Direito nem sempre será justo; para se obter a justiça, ainda que pela via do Direito muitas vezes será preciso lutar, e esta deve ser a nossa escolha, sempre.

Muitas vezes lutamos pelo que chamamos de nossos direitos, entretanto, sem nos preocuparmos, de forma sincera  se, de fato, a justiça será aplicada. Não apenas em relações entre partes, mas individualmente também.

Jesus disse para buscarmos primeiramente o Reino de Deus e a sua justiça, pois fazendo isto, todas as coisas nos serão acrescentadas. (Mateus 6.33) Ou seja, a justiça sempre em primeiro lugar. Esta justiça pode ser trazida para dentro de nosso ser e não apenas a justiça regida pelas leis e poderes constituídos nas sociedades. É possível olhar para dentro de nossas vidas e analisarmos se estamos sendo justos conosco mesmos ainda que em nosso pleno Direito.

Todas as coisas me são permitidas, todas são lícitas, a todas elas eu tenho direito.  Tenho o direito de fazer o que quiser com minha vida. "Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm; todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas edificam.” (I Coríntios 10 .23) Porém, em uma averiguação íntima vamos descobrir se é justo a vida que nós mesmos nos oferecemos em virtude, muitas vezes, de nossas convicções intocáveis, hábitos inquestionáveis e costumes incontestáveis oferecidos por nosso direito adquirido.

Quem estabeleceu determinados preceitos sobre nós deu-nos Direitos que podem não ser justos. Pelo fato de alguém, ou a própria lei, autorizar que posso fazer algo,  não significará que será bom ou justo para mim. 

É preciso lutar, ter minucioso cuidado e a mais absoluta atenção às possibilidades de nossos direitos, pois nem todos eles contribuirão para nosso bem maior que é a justiça conosco mesmos.

Pense nisto, e se necessário for, abra mão de seus direitos para que você seja feliz e justo consigo mesmo.

Lembre-se: se o seu direito de liberdade conflitar com o que for justo com você mesmo, abandone o seu direito e lute pelo que for justo. Você será mais feliz.

Gilberto Horácio